UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/03/2010 - 10h30

Bovespa opera em alta nesta quinta-feira, e dólar cede

Da Redação, em São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) opera em alta nesta quinta-feira. Por volta de 10h25, o Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) subia 0,76%, aos 69.440,38 pontos (siga gráfico da Bovespa com atualização constante). Veja ainda cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.

A cotação do dólar comercial recuava 0,39%, a R$ 1,795 na venda (veja gráfico com as últimas atualizações).


A cotação do euro tinha leve queda 0,07%, a R$ 2,396 (gráfico).

O mercado internacional de câmbio respirava após uma quarta-feira tensa, com forte alta do dólar por conta da redução da nota da dívida de Portugal pela agência Fitch.

Nesta quinta-feira, as atenções estavam voltadas para o início da reunião de cupula da União Europeia sobre a Grécia, que dura até a sexta-feira. A Alemanha continua a afirmar que um pacote de ajuda à Grécia deve ser visto somente como último recurso, e precisaria contar com o envolvimento do Fundo Monetário Internacional (FMI).

"O dólar abriu seguindo lá fora. (Enquanto isso), acho que o mercado vai digerir um pouco aquelas mudanças complexas que o BC fez no mercado de câmbio", disse Jorge Knauer, gerente de câmbio do banco Prosper, no Rio de Janeiro.

Na quarta-feira, o BC anunciou novas medidas para simplificar e consolidar as normas cambiais, como a possibilidade de companhias residentes no país emissoras e/ou ofertantes de Depositary Receipts (DR) manterem no exterior o produto da sua alienação. Essa faculdade não se aplica a DR de instituições financeiras.

Outra mudança diz respeito à ampliação do prazo de liquidação dos contratos celebrados pelo Tesouro Nacional de 360 para até 750 dias, a contar da data da contratação.

O BC também acabou com a necessidade de obtenção de autorizações prévias que ainda eram exigidas para determinados tipos de transferências de capital estrangeiro.

O impacto imediato das medidas sobre o mercado de câmbio ainda não está claro, afirmou Knauer. "Em tese, você vai ter uma maior flexibilidade no mercado, uma facilidade na saída de recursos. Mas isso também pode ser um estímulo para a entrada de divisas --o vento só entra onde pode sair", disse.

Confira também as cotações anteriores do dólar e de outras moedas em novo gráfico interativo.

(Com informações da Reuters)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host