UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/04/2010 - 17h28

Bovespa cai pela 3ª vez seguida; dólar recua a R$ 1,755

Da Redação, em São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) encerrou esta segunda-feira em queda pela terceira sessão seguida. O Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) caiu 0,47%, aos 69.097,58 pontos. A Bolsa caiu mais de 1% de durante a tarde e chegou a ficar na casa dos 68 mil pontos. No mês, a perda acumulada é de 1,8%. No ano, ainda há um pequeno ganho, de 0,74%.

Após um dia instável, a cotação do dólar comercial fechou os negócios em queda de 0,4%, a R$ 1,755 na venda, interrompendo dois dias seguidos de ganhos. No mês, a moeda já tem perda acumulada de 1,46%. No ano, porém, ainda tem valorização de 0,69%.

 

O dólar passou o dia oscilando entre altas e baixas, monitorando o ingresso de recursos no país e o comportamento do mercado internacional em uma sessão com poucos indicadores.

O Goldman Sachs continuou no foco de preocupações dos investidores. O banco, acusado de fraudar investidores nos Estados Unidos, também terá algumas unidades no Reino Unido investigadas.

"O grande problema é a desconfiança em relação a outros bancos. Voltam as preocupações com as instituições americanas e europeias e a notícia ainda vai trazer um pouco de turbulência, já que o mercado fica com um pouco de aversão a risco à renda variável", diz o assessor de investimento da corretora Souza Barros, Luiz Roberto Monteiro.

As perdas das empresas aéreas em razão do fechamento de aeroportos na Europa por causa do vulcão na Islândia também influenciaram negativamente os mercados.

O dólar subiu nas últimas duas sessões. Na quinta-feira, a alta foi motivada pela atuação surpresa do Banco Central, que pela primeira vez em quase três anos fez duas compras de dólares no mesmo dia. Na sexta, foi a piora global após acusações de fraude do Goldman Sachs que pressionou o dólar.

A tendência de queda provocada desde o final de março pela perspectiva de entrada de moeda no país, porém, continua prevalecendo. "Ainda não dá para sentir uma mudança de patamar, porque o mercado ainda está líquido, com entrada (de recursos)", disse José Carlos Amado, operador de câmbio da corretora Renascença.

Nos mercados de dólar futuro e cupom cambial, os estrangeiros mantinham, por exemplo, US$ 2,9 bilhões em posições vendidas (aposta na queda da cotação) na moeda norte-americana no final da semana passada, de acordo com dados da BM&FBovespa.

(Com informações de Reuters e Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host