UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/05/2010 - 14h19

Bovespa opera em alta nesta segunda-feira, e dólar cede

da Redação, em São Paulo

(Texto atualizado às 15h13)

Depois de oscilar entre o positivo e o negativo durante a manhã, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) opera em alta nesta segunda-feira. Por volta das 15h10, o Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) tinha alta de 0,51%, aos 60.564,87 pontos (siga gráfico da Bovespa com atualização constante). Veja ainda cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.

O dólar comercial caía 0,11%, cotado a R$ 1,859 na venda  (veja gráfico com as últimas atualizações). A cotação do euro tinha queda de 0,93%, a R$ 2,304 na venda (gráfico). Confira também as cotações anteriores do dólar e de outras moedas em novo gráfico interativo.

Na sexta-feira passada, depois de seis dias de queda, a Bolsa conseguiu um respiro e retomou os 60 mil pontos - o Ibovespa subiu 3,55%, aos 60.259,33 pontos. Na semana, entretanto, o índice acumulou queda, de 4,97% e, no mês, baixa de 10,77%.

Na Europa, não foram divulgadas medidas de proteção ao euro. A novidade partiu do Reino Unido, onde o ministro das Finanças, George Osborne, anunciou uma redução de gastos de mais de 6 bilhões de libras.

Na Itália, a expectativa é de que um plano de austeridade seja aprovado na terça-feira.

Na Ásia, as bolsas fecharam em alta, com exceção do mercado japonês, cujo índice Nikkei 225 teve recuo de 0,27%, aos 9.758,40 pontos.

No Brasil, o mercado elevou as projeções para a inflação ao consumidor em 2010 pela 18ª semana seguida, mostrou o relatório Focus nesta segunda-feira, enquanto a previsão para o crescimento da economia aumentou pela décima semana consecutiva.

A mediana das previsões para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) este ano passou para 5,67%, ante 5,54% na pesquisa divulgada na semana passada. A estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) passou de expansão de 6,3% para 6,46%.

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) desacelerou na terceira quadrissemana de maio para a menor taxa desde dezembro de 2009, mostraram dados da Fundação Getúlio Vargas. O indicador subiu 0,47% nos 30 dias encerrados em 22 de maio, após avançar 0,64% na segunda leitura do mês e 0,78% na primeira medição.

(Com informações de Reuters e Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host