UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/06/2010 - 12h41

Bovespa e dólar operam em queda; siga gráficos

Da Redação, em São Paulo

Após a alta registrada ontem, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) opera em baixa nesta terça-feira. Por volta das 12h35, o Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) caía 0,53%, aos 62.712,67 pontos (siga gráfico da Bovespa com atualização constante). Veja ainda cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.

O dólar comercial, que abriu em alta, tinha queda de 0,11%, cotado a R$ 1,819 na venda  (veja gráfico com as últimas atualizações). A cotação do euro tinha leve alta de 0,38%, a R$ 2,238 na venda (gráfico). Confira também as cotações anteriores do dólar e de outras moedas em novo gráfico interativo.

SAIBA POR QUE O DÓLAR VARIA TANTO

Ontem, a Bolsa fechou em alta de 1,77%, aos 63.046,51 pontos. Apesar do resultado positivo no dia, o Ibovespa terminou maio com queda de 6,64%. Foi a maior baixa mensal desde outubro de 2008, no auge da crise provocada pelo colapso do banco Lehman Brothers, quando o prejuízo foi de 24,8%. No ano, a perda acumulada é de 8,08%.

Nesta terça-feira, os mercados repercutem a informação de que o índice de desemprego na zona do euro chegou a 10,1% da população ativa, o que representa um novo recorde desde a criação do espaço monetário de 16 países em 1999.

Segundo os dados do Eurostat, a agência de estatísticas do bloco, em abril, a região tinha 15,86 milhões de pessoas à procura de emprego.

Na Ásia, o menor ritmo de crescimento da atividade manufatureira chinesa afetou o movimento nos mercados fazendo com que os principais índices das Bolsas no continente terminassem em queda.

O índice Hang Seng, de Hong Kong, foi o que mais sofreu, caindo 1,36%. Em Tóquio, o Nikkei 225 recuou 0,58%.

No Brasil, foi divulgado que a produção industrial teve queda de 0,7% entre março e abril, na série com ajuste sazonal. Perante o quarto mês de 2009, no entanto, o indicador subiu 17,4%, No acumulado deste ano, houve expansão de 18%. Em 12 meses, a alta correspondeu a 2,3%, a primeira leitura positiva desde janeiro de 2009 (1%), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 (Com informações de Reuters e Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host