UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/06/2010 - 18h00

Vale e siderúrgicas lideram alta na Bovespa; Petrobras cai

Da Redação, em São Paulo

A valorização de empresas ligadas a minério e metais reforçou a alta do Ibovespa (principal indicador da Bolsa de São Paulo) nesta sexta-feira, em uma sessão de volume abaixo da média e influenciada pela volatilidade em Wall Street.

O motivo foi a percepção de que a expansão da economia chinesa, grande consumidora de commodities, se mantém forte. Na quinta-feira, a China divulgou crescimento de 48,5% das exportações.

Nesta sessão, foram anunciados números firmes sobre a indústria e os preços no varejo

As ações preferenciais (VALE5) --que possuem preferência na hora de receber dividendos-- tiveram o maior volume individual, com alta de 1,07%, cotadas a R$ 41,66.

As ações ordinárias da Vale (VALE3) --aquelas que dão direito a voto-- fecharam o dia com alta de 1,22%, cotadas a R$ 48,19.

Outra mineradora, a MMX (MMXM3), subiu 1,22% , a R$ 11,57.

Entre as siderúrgicas, o destaque foi Usiminas (USIM5), com valorização de 1,34%, a R$ 46,01. Gerdau (GGBR4) avançou 2%, a R$ 25,01, e CSN (CSNA3) ganhou 1,64%, a R$ 27,29.

Outros destaques

Outro setor que se destacou foi o imobiliário. A PDG Realty (PDGR3) teve o terceiro maior giro do pregão, com alta de 0,32%, a R$ 15,85, após os acionistas da empresa aprovarem em assembleia a incorporação da Agre (AGEI3), que subiu 0,39% por cento, para R$ 7,80.

A Gafisa (GFSA3), com alta de 5,17%, para R$ 11,40, teve a maior valorização percentual do Ibovespa.

A produtora de açúcar e etanol Cosan (CSAN3) subiu 0,73%, para R$ 20,80, após anunciar lucro líquido de R$ 308,7 milhões no quarto trimestre do ano fiscal de 2009/10.

No lado negativo, Petrobras (PETR4) teve baixa de 0,94% das ações preferenciais, a R$ 29,62.

"A volatilidade sobre as ações da estatal [Petrobras] continuará elevada, dada as incertezas ainda presentes sobre a capitalização, e também pelo processo natural de pressão sobre as ações diante de uma oferta de ações gigantesca. Mantemos recomendação neutra", escreveram analistas da corretora Ativa em relatório.

O Senado aprovou na madrugada de quinta-feira o projeto de capitalização da Petrobras sem alterar a proposta que veio da Câmara dos Deputados.

(Com informações da Reuters)
 

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host