UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/06/2010 - 17h30 / Atualizada 25/06/2010 - 18h05 true

Bolsa sobe 1,39%; dólar cai 0,5% e fecha a R$ 1,78

Da Redação, em São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) fechou em alta nesta sexta-feira. O Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) subiu 1,39 %, aos 64.823,83.

Na semana, o índice acumulou ganho de 0,6%. No ano, porém, a perda é de 5,49%.

Pelo segundo dia seguido, o dólar comercial fechou em queda. A moeda norte-americana caiu 0,5%, cotada a R$ 1,78 na venda.

Na semana, o dólar acumulou valorização de 0,45%. No mês, porém, tem perda de 2,25%.

O giro financeiro do pregão, afetado pela partida entre Brasil e Portugal, ficou em apenas R$ 3,33 bilhões, ante média de R$ 6 bilhões em junho. Foi o menor volume do ano, abaixo do primeiro jogo do Brasil na Copa do Mundo.

Na quinta-feira, o Ibovespa havia caído 1,88% em uma jornada de preocupação no mercado internacional com a economia dos Estados Unidos e com a reforma do sistema financeiro do país.

"Achei a realização (de lucros) um pouco forte (na quinta-feira), um pouco exagerada", disse o analista Rossano Oltramari, da XP Investimentos.

Parte do alívio nesta sessão foi dado pelos próprios bancos. A reforma definida no Congresso dos EUA, embora traga regras mais rígidas que as atuais, deixou de lado algumas proibições que vinham sendo articuladas sobre os bancos, o que elevou os papéis do setor em Wall Street.

No Ibovespa, a ação do Bradesco (BBDC4) subiu 1,1% , para R$ 30,22, e a do Itaú Unibanco (ITUB4) teve alta de 0,73%, para R$ 34,60.

O principal impulso para o índice, no entanto, veio de ações ligadas a matérias-primas. A alta de mais de 3% do petróleo nos EUA, alimentada pela possibilidade de uma tempestade no Golfo do México, trouxe um alento para as ações da Petrobras --abaladas nesta semana pelo adiamento da capitalização da estatal de julho para setembro.

As ações preferenciais, que possuem preferência na hora de receber dividendos, da Petrobras (PETR4) subiram 1,53%, para R$ 27,91, e as ordinárias, aquelas que dão direito a voto, (PETR3) tiveram alta de 1,27%, para R$ 32,02 reais. As ordinárias da OGX (OGXP3), do empresário Eike Batista, se valorizaram em 1,86%, para R$ 18,58.

As mineradoras também se destacaram. As preferenciais da Vale (VALE5) tiveram alta de 1,62% de suas ações preferenciais, para R$ 41,92, e as ordinárias da MMX (MMXM3) ganharam 3,88%, para R$ 12,06.

Na ponta de baixo do Ibovespa, Brasil Ecodiesel (ECOD3) teve a maior queda, com desvalorização de 2,15%, para R$ 0,91. A produtora de biocomustíveis, que teve na quinta-feira a maior alta da carteira teórica, anunciou que continua sem o selo social para as usinas de Itaqui e Iraquara após uma decisão da Justiça.

As Bolsas de Valores europeias atingiram o menor nível de fechamento em duas semanas, com a revisão negativa do crescimento econômico dos Estados Unidos no primeiro trimestre e a batalha da BP para limpar o derramamento de petróleo.

 As Bolsas de Valores da Ásia caíram pelo quarto dia seguido nesta sexta-feira, em meio a expectativas de uma maior regulação financeira na reunião do G20 no fim de semana e a incertezas sobre a recuperação global.

(Com informações de Reuters e Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host