UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/08/2010 - 16h52 / Atualizada 05/08/2010 - 16h53

Dólar fecha em queda de 0,23%, a R$ 1,754

Da Redação, em São Paulo

A cotação do dólar comercial fechou em queda de 0,23% nesta quinta-feira, a R$ 1,754 na venda. No ano, porém, a moeda norte-americana ainda acumula ganho de 0,63%.

O dólar tem sido cotado entre a estreita faixa de R$ 1,775 e R$ 1,745 desde 22 de julho, há onze sessões.

SAIBA POR QUE O DÓLAR VARIA TANTO

As taxas locais de juros de curto prazo em dólares, porém, voltaram a superar 2% na BM&FBovespa, indicando o retorno de uma pressão que poderia levar o Banco Central a atuar no mercado por meio de derivativos.

Analistas têm apontado que, por ora, há pouco espaço para variações mais intensas da taxa de câmbio no mercado à vista.

O dólar não sobe por conta da perspectiva de entrada de capitais no país, com o exemplo da bilionária oferta de ações da Petrobras, prevista para setembro, e também pelo ambiente mais favorável a aplicações de risco nas últimas semanas.

A moeda também não cai porque os investidores temem aumentar ainda mais as expressivas posições vendidas e serem obrigados a um recuo caso o BC mude a política de atuação, com uma oferta de swap cambial reverso (concessão de empréstimos recíprocos entre bancos, em moedas diferentes e com taxas de câmbio idênticas.), por exemplo.

A probabilidade desse evento havia diminuído com o ingresso de US$ 3 bilhões no mercado à vista na semana passada.

“Desde aquela consulta (que o BC fez sobre a demanda por um eventual leilão de swap reverso, há quase duas semanas), o mercado pensa: ‘para que preço eu tenho que levar o dólar para que o BC atue?’”, disse o operador de uma corretora local à agência de notícia Reuters, que preferiu não ser identificado.

"O mercado, nos próximos dias, vai testar o BC."

Ecoando discurso de parte do governo, o Fundo Monetário Internacional (FMI) avaliou que a moeda brasileira parece "sobrevalorizada".

(Com informações de Reuters)

 

Hospedagem: UOL Host