UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/08/2010 - 10h33 / Atualizada 17/08/2010 - 14h11

Bolsa opera em alta, e dólar cai; siga gráficos interativos

Da Redação, em São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) opera em alta nesta terça-feira. Por volta das 14h10, o Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) subia 1,32%, aos 67.585,28 pontos (siga gráfico da Bovespa com atualização constante). Veja ainda cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.

A cotação do dólar comercial tinha queda de 0,29%, a R$ 1,752 na venda  (veja gráfico com as últimas atualizações). A cotação do euro tinha alta de 0,35%, a R$ 2,257 na venda (gráfico). Confira também as cotações anteriores do dólar e de outras moedas em novo gráfico interativo.

Em Wall Street, o índice Dow Jones subia 1,39%.

Bolsas asiáticas

Diante dos temores quanto à recuperação da economia global, os mercados de ações da Ásia encerraram os negócios desta terça-feira sem direção comum. A Bolsa de Tóquio recuou 0,38%, enquanto Xangai teve alta de 0,38%.

O mercado ainda avalia os números divulgados nos Estados Unidos, no Japão e na China, que evidenciam desaceleração no ritmo de crescimento mundial.

No mundo

Nos Estados Unidos a produção industrial aumentou 1% em julho, após recuar 0,1% um mês antes (número revisado). Segundo os dados apresentados hoje pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), na comparação anual, a produção industrial mostra expansão de 7,7%.

Outro índice positivo morte-americano foi  o crescimento de 1,7% em julho da atividade de construção de moradias, perante o mês anterior, para uma taxa anualizada ajustada sazonalmente de 546 mil unidades. O dado, contudo, ficou abaixo das expectativas dos analistas de Wall Street, que apostavam em um número anualizado entre 550 mil e 560 mil unidades.

Na Ásia, a China celebrou o fato do Produto Interno Bruto (PIB) nominal do país ter superado o do Japão no segundo trimestre, mas o governo admitiu que ainda há muito por fazer em uma nação que é apenas a 105ª do mundo em renda per capita.

E, na Europa, a confiança de médio prazo do investidor na economia alemã caiu em agosto com força ao menor nível desde abril de 2009, apesar do forte crescimento do segundo trimestre do ano.

No Brasil

Depois de uma elevação de apenas 0,05% em julho, o Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) marcou inflação de 0,46%, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). As estimativas de analistas, porém, eram de inflação por volta de 0,62%.

Já entre as sete capitais pesquisadas para o cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), seis apresentaram desaceleração em suas taxas de variação na semana encerrada em 15 de agosto. São elas: Brasília, Salvador, Recife, Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo.

(Com informações de Valor e Reuters)

Hospedagem: UOL Host