UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/08/2010 - 12h33 / Atualizada 23/08/2010 - 15h24

Bolsa opera em baixa, e dólar sobe; siga gráficos interativos

Da Redação, em São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) opera em baixa nesta segunda-feira. Por volta das 15h20, o Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) caía 0,36%, aos 66.437,83 pontos (siga gráfico da Bovespa com atualização constante). Veja ainda cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.

A cotação do dólar comercial tinha alta de 0,23%, a R$ 1,764 na venda  (veja gráfico com as últimas atualizações). A cotação do euro tinha ligeira valorização de 0,09%, a R$ 2,235 na venda (gráfico). Confira também as cotações anteriores do dólar e de outras moedas em novo gráfico interativo.

Em Wall Street, o índice Dow Jones subia 0,28%.

Bolsas internacionais

Na Europa, as principais Bolsas fecharam em alta, recuperando-se em meio a notícias sobre fusões e aquisições e à valorização de ações do setor de minério.

As principais Bolsas asiáticas iniciaram a semana no vermelho, refletindo as incertezas no cenário internacional. Os investidores mantêm-se cautelosos diante da possibilidade de dupla recessão mundial.

Boletim Focus

O mercado financeiro revisou para baixo sua estimativa para a inflação oficial (IPCA) e para a taxa básica de juros (a Selic), segundo os economistas do mercado financeiro ouvidos pelo Banco Central (BC).

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), a pesquisa mostra que a economia brasileira deve ter crescimento de 7,10% neste ano.

Os dados referem-se às expectativas de analistas de cem instituições financeiras consultados semanalmente pelo BC na pesquisa Focus.

Destaques da semana

A semana tem numerosa agenda de indicadores, mas poucos dados de grande relevância para os mercados. No Brasil, destaque para a taxa de desemprego de julho. Nos Estados Unidos, foco na segunda preliminar sobre o desempenho da economia no segundo trimestre.

Nesta terça-feira, no Brasil serão divulgados os indicadores industriais da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a nota de crédito do BC e o resultado primário do governo central (que compreende Tesouro, Previdência e Banco Central). Na Europa, a Alemanha apresenta a leitura final do PIB no segundo quarto do ano. Nos EUA, os investidores conhecem as vendas de imóveis usados e o índice de atividade do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) de Richmond.

Na quarta-feira, o BC apresenta a nota de política fiscal, e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) mostra sua leitura de IPC, que mede a variação de preços para o consumidor na cidade de São Paulo com base nos gastos de quem ganha de um a vinte salários mínimos. Nos EUA, os destaques recaem na encomenda por bens duráveis e na venda de imóveis novos.

A quinta-feira traz os dados sobre desemprego no Brasil em junho e os indicadores industriais da Fiesp. Também está prevista reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN).

A semana acaba com o PIB dos EUA, o PIB do Reino Unido, a confiança do americano e discurso do presidente do Fed, Ben Bernanke.

(Com informações de Valor e Reuters)

Hospedagem: UOL Host