UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/08/2010 - 13h12 / Atualizada 24/08/2010 - 16h06

Bovespa opera em baixa nesta terça-feira; siga gráficos interativos

Da Redação, em São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) opera em baixa nesta terça-feira. Por volta das 15h40, o Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) caía 1,29%, aos 65.132,43 pontos (siga gráfico da Bovespa com atualização constante). Veja ainda cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.

Em Wall Street, o índice Dow jones caía 1,01%.

Bolsas internacionais

As principais Bolsas europeias fecharam em baixa, após dados desanimadores do setor imobiliário dos Estados Unidos agravarem os temores em relação à retomada da maior economia do mundo.

As Bolsas asiáticas registraram nova queda no pregão desta terça-feira, ainda refletindo os temores dos investidores quanto à recuperação da economia mundial. O mercado aguarda a divulgação de novos dados da economia americana, que podem reforçar os sinais de lenta retomada da atividade econômica global.

Petrobras

Com endividamento alto, a Petrobras pegou empréstimo de R$ 2,2 bilhões com o Banco do Brasil em junho. Naquele mesmo mês, a estatal também recorreu à Caixa, da qual obteve crédito de R$ 2 bilhões. O financiamento, por meio de contratação de notas de créditos à exportação, tem vencimento para 2016.

Destaques

As vendas de casas antigas nos Estados Unidos diminuíram expressivamente em julho após o fim de um crédito tributário para o comprador de imóvel, mas os preços das moradias continuam em alta. A observação é da Associação Nacional de Corretores de Imóveis dos EUA (NAR, na sigla em inglês).

O dólar caiu nesta terça-feira a 84,14 ienes, o menor nível dos últimos 15 anos ante a moeda japonesa, em meio a um crescente temor a respeito da solidez da reativação econômica mundial e a falta de medidas concretas do governo japonês para conter sua moeda.

Na Europa, o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha cresceu 2,2% no segundo trimestre, em relação aos três meses antecedentes, respeitando ajuste sazonal, de calendário e de preços.

A confirmação foi feita hoje pelo Departamento Federal de Estatísticas (Destatis), que reforçou que o desempenho da economia do país é idêntico àquele contemplado em pesquisa preliminar, divulgada em 13 de agosto.

E, no Brasil, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou que o ICC (Índice de Confiança do Consumidor) subiu 0,7% entre julho e agosto, ao passar de 120 para 120,8 pontos, considerando-se dados com ajuste sazonal.

(Com informações de Valor e Reuters)

Hospedagem: UOL Host