UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

13/09/2010 - 17h29 / Atualizada 13/09/2010 - 18h14

Bolsa sobe 1,83% impulsionada por setor bancário e China

Da Redação, em São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) iniciou a semana em alta. Nesta segunda-feira (13), o Ibovespa, principal indicador da Bolsa paulista, subiu 1,83% aos 68.030,58 pontos.

AÇÕES DO IBOVESPA HOJE

Vale PN 2,63%
Vale ON 2,86%
Petrobras PN 2,83%
Petrobras ON 2,06%
Maior alta: MRV ON
5,54%
Maior queda: LLX ON
-6,48%

No mês, a Bolsa tem valorização de 4,43%. No ano, porém, ainda tem perda de 0,81%.

A cotação do dólar comercial fechou em queda de 0,23%, a R$ 1,716 na venda. Com isso, a moeda americana registrou a nona baixa seguida e voltou a atingir a menor cotação do ano. Desde fevereiro de 2008 a moeda não caía por nove vezes seguidas.

Em Wall Street, o índice Dow Jones fechou em alta de 0,78%.%.

O otimismo do mercado veio com uma nova regulamentação para o setor bancário e com novos sinais de vigor da economia chinesa.

“Teve a coisa da China, que ajudou as siderúrgicas... e as regras de Basileia deram uma ajuda boa para os bancos”, disse Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros.

O Acordo de Basileia III, divulgado no domingo (12), aliviou temores sobre os efeitos das novas regras no setor bancário mundial. Apesar de precisarem triplicar o total de suas reservas de proteção contra uma futura crise, as instituições terão prazo até 2019 para se adequar.

Bradesco (BBDC4), vice-líder de ganhos do Ibovespa, ganhou 4,05%, a R$ 32,10. Banco do Brasil (BBAS3) subiu 3,6%, a R$ 29,00. Itaú Unibanco (ITUB4) cresceu 3,5%, a R$ 38,50.

Em outra frente, dados divulgados no sábado revelaram que a produção industrial chinesa cresceu acima do esperado em agosto, o que ajudou a levantar Vale e as fabricantes de aço.

O papel preferencial (que possui preferência na hora de receber dividendos, mas não tem voto) da mineradora (VALE5) ganhou 2,6%, a R$ 42,54. CSN (CSNA3) puxou a fila das siderúrgicas, com um salto de 1,8%, a R$ 28,31.

O papel preferencial da Petrobras (PETR4) cresceu 2,83%, a R$ 28,30, em meio à alta do petróleo e no primeiro dia de reservas para os interessados em participar da mega oferta pública da companhia.

OGX (OGXP3), do empresário Eike Batista, cujo Conselho propôs no domingo separar parte das atividades da petrolífera na Bacia de Campos para viabilizar investimentos de terceiros ganhou 0,9%, a R$ 20,26.

Já LLX (LLXL3), também de Eike, foi a pior do Ibovespa, desabando 6,48%, a R$ 10,10, após a companhia de logística do grupo EBX anunciar a negociação de ativos envolvendo a MMX e a empresa sul-coreana SK Networks.

Na sexta-feira, a ação da LLX havia subido 8% em meio a rumores de que um anúncio de acordo societário era iminente. MMX (MMXM3) avançou 1,6%, a R$ 13,14.

Bolsas internacionais

As ações europeias atingiram o maior nível desde abril, com destaque para o setor bancário, em meio ao alívio do mercado com novas regras não tão pesadas para o setor, e com mineração se destacando com otimismo renovado por China.

As Bolsas da Ásia iniciaram a semana no azul, com os negócios sendo impulsionados pelos novos dados das economias chinesa e americana.

(Com informações de Reuters e Valor)

Hospedagem: UOL Host