UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/09/2010 - 10h06 / Atualizada 15/09/2010 - 14h52

Bolsa opera em baixa, e dólar sobe após dez quedas; siga gráficos interativos

Da Redação, em São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) opera em queda nesta quarta-feira. Por volta das 11h55, o Ibovespa (principal índice da Bolsa paulista) caía 0,61%, aos 67.277,92 pontos (siga gráfico da Bovespa com atualização constante). Veja ainda cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.

A cotação do dólar comercial tinha alta de 0,23%, a R$ 1,712 na venda, depois de dez dias seguidos fechando no vermelho  (veja gráfico com as últimas atualizações). A cotação do euro subia 0,32%, a R$ 2,23 na venda (gráfico). Confira também as cotações anteriores do dólar e de outras moedas em novo gráfico interativo.

Em Wall Street, o Índice Dow Jones tinha valorização de 0,24%.

Entre os indicadores que devem influenciar o mercado ao longo do dia, o destaque na agenda doméstica são os números sobre o fluxo cambial semanal. A publicação do Banco Central (BC) ganha peso, pois nela se descobre quantos dólares a autoridade monetária tirou de circulação desde que retomou a estratégia de fazer dois leilões por dia no mercado à vista.

As estimativas que rondam as mesas sugerem mais de US$ 3 bilhões. Os números também mostrarão o comportamento do fluxo e permitirão estimar se os bancos elevaram ou diminuíram sua posição vendida no mercado à vista.

Na agenda externa, destaque para a produção industrial americana no mês de agosto, que cresceu 0,2%, em linha com as expectativas de uma forte desaceleração em relação ao mês anterior, mostraram dados do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

Pela manhã, foi divulgado que as solicitações de empréstimos imobiliários no mercado americano apresentaram recuo de 8,9% na semana encerrada em 10 de setembro em relação à anterior. Nos sete dias anteriores, o indicador registrou queda de 1,5%.

Bolsas asiáticas

Os mercados acionários da Ásia registraram ganhos levados pela Bolsa japonesa, que disparou mais de 2% depois que o governo do país interveio no câmbio. Já a Bolsa de Xangai recuou 1,34% com os negócios sendo pressionados pelos papéis do setor imobiliário.

O Japão interveio no mercado cambial nesta quarta-feira pela primeira vez em seis anos, comprando dólar para conter a alta do iene. 

(Com informações de Reuters e Valor)

Hospedagem: UOL Host