UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/04/2011 - 17h49 / Atualizada 18/04/2011 - 20h16

Ações da OGX, de Eike Batista, caem 17,25%; grupo perde R$ 11,9 bi

Do UOL Economia, em São Paulo

As ações da OGX (OGXP3), companhia petrolífera do empresário Eike Batista, fecharam em queda de 17,25% nesta segunda-feira (19), com a decepção do mercado com o relatório da certificadora DeGolyer and MacNaughton (D&M) sobre as reservas da companhia.

Outras empresas do grupo também tiveram queda nas ações. Com o resultado, as seis empresas do megaempresário listadas na Bolsa perderam R$ 11,93 bilhões em valor de mercado entre sexta-feira e esta segunda. O cálculo é da consultoria Economatica.

A principal perda foi da OGX (OGXP3), companhia petrolífera do grupo EBX, de Eike, que se desvalorizou R$ 10,9 bilhões, indo de R$ 63,53 bilhões na sexta-feira para R$ 52,57 bilhões nesta segunda em valor de mercado.

As outras empresas do grupo também tiveram perdas, mas de valores menores, como a mineradora MMX, que caiu de R$ 6,491 bilhões para R$ 6,128 bilhões (uma redução de R$ 363,2 milhões).

Desde antes da abertura do mercado, relatórios negativos circularam sobre os novos dados da companhia --como do BTG Pactual, Santander e Deutsche Bank-- que revisaram para baixo o preço-alvo e a recomendação para a empresa.

Mas a corretora Ágora reforçou sua indicação de compra para as ações. "Os resultados apresentados nos relatórios comprovaram uma importante e acelerada evolução na base de ativos da companhia e atestaram sua capacidade de crescer organicamente", disse a corretora.

Os dados apresentados pelo relatório da D&M foram considerados insuficientes pelo mercado para se ter uma ideia real das reservas de petróleo e gás natural da empresa.

Ações de outras empresas do grupo também caem

O desempenho das ações da OGX acabou prejudicando outros papéis do grupo EBX. A LLX Logística ON (LLXL3) caiu 5,22%, a R$ 4,72. A MMX Mineração ON (MMXM3)teve queda de 5,59%, a R$ 10,46.

Declarações de Eike Batista também afetaram o desempenho das ações. Ele disse que desistiu de vender 30% dos blocos que a empresa possui na bacia de Campos e que agora pensa em alienar uma parcela de 10%.

Corretoras reduzem avaliação sobre papéis das empresas

Diante da situação, corretoras revisaram recomendações e preços-alvo das ações. O Santander reduziu a classificação de "compra'' para "manutenção" e a estimativa para o preço por ação caiu de R$ 33,00 para R$ 25,00, de acordo com relatório de analistas liderados por Christian Audi.

O BTG Pactual, por sua vez, rebaixou a recomendação de "compra" para "neutra", após a petrolífera ter anunciado recursos totais de petróleo e gás abaixo do esperado. A instituição reduziu a estimativa para o preço por ação em 12 meses de R$ 27,63 para R$ 21,63, como os analistas Gustavo Gattass e Rafael Fonseca afirmaram em relatório a clientes.

O Morgan Stanley ainda cortou de R$ 27 para R$ 23 sua previsão para o preço das ações da OGX nos próximos 12 meses, após excluir de sua análise o melhor cenário possível para a empresa (o chamado "bull case").

Eike pagou viagem de autoridades colombianas

Reportagem da Folha divulgada nesta segunda-feira mostrou que Eike Batista, pagou excursões a autoridades da Colômbia que analisam o pedido de licenciamento de seus projetos em uma região de preservação ecológica.

Eike Batista foi eleito o oitavo homem mais rico do mundo pela revista "Forbes". Ele é o brasileiro mais rico, com uma fortuna de cerca de R$ 50 bilhões.

(Com informações de Reuters e Valor)

Veja mais

Hospedagem: UOL Host