UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/09/2009 - 10h48

Ações da GVT disparam na Bovespa após acordo de R$ 5,4 bi com francesa Vivendi

Da Redação

Em São Paulo
As ações da empresa de telecomunicações GVT disparavam 17,21% por volta das 10h40 desta quarta-feira, cotada a R$ 42,50. No mesmo horário, o Ibovespa, principal indicador de ações da Bolsa de Valores de São Paulo, caía 0,39%, aos 57.630,96 pontos. Ontem, os papéis da GVT encerraram o pregão de terça-feira na Bovespa com alta de quase 5%, a R$ 36,26.

O grupo francês Vivendi anunciou na terça-feira um acordo com os acionistas controladores da GVT para comprar 100% da companhia brasileira, com a intenção de desembolsar R$ 5,4 bilhões. O valor proposto por ação, de R$ 42, representa um prêmio de quase 16% sobre o preço de fechamento dos papéis na Bovespa na terça-feira.


Em comunicado, a Vivendi informou que pretende lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) pelas ações da GVT no mercado, sob determinadas condições a serem cumpridas até 16 de outubro. Uma delas é a eliminação de um mecanismo para evitar ofertas hostis de compra que está no estatuto da GVT.

Os controladores da empresa brasileira já concordaram em apoiar a mudança do estatuto, para permitir a aquisição da companhia pelo grupo francês de comunicações e entretenimento.

O estatuto da GVT estabelece que, em caso de OPA, o preço de compra de cada ação da empresa não poderá ser inferior a 125% da cotação mais alta do papel nos últimos 12 meses. Com base apenas no histórico de cotações deste ano, esse valor superaria com folga os 42 reais oferecidos pela Vivendi.

Se o negócio for adiante, a expectativa é que a OPA ocorra até o final deste ano. Conforme a Vivendi, Shaul Shani e Amos Genish continuarão como presidente do Conselho e presidente-executivo da GVT.

"A Vivendi e a GVT irão capitalizar suas respectivas forças para permitir que a GVT continue a acelerar seu crescimento. A experiência da Vivendi em conteúdo dará suporte aos planos da GVT de entrar em novos mercados", disse o grupo francês.

Em virtude do acordo, a oferta secundária de ações da GVT que estava em andamento, anunciada em 19 de agosto, está cancelada, informou a Vivendi.

A GVT foi constituída em setembro de 1999, com sede em Curitiba, no Paraná. A empresa encerrou junho com cerca de 2,3 milhões de linhas em serviço, incluindo voz, banda larga, dados e serviços de voz sobre Protocolo de Internet (VoIP, na sigla em inglês).

(Com informações da Reuters)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host