Bolsas

Câmbio

Primeira parcela do 13º cai nesta quarta-feira; veja 8 dicas para usar bem

Sophia Camargo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Getty Images/iStockphoto

A primeira parcela do 13º salário é paga nesta quarta-feira (30) para os trabalhadores com carteira assinada que não anteciparam metade nas férias. A segunda parcela é paga até 20 de dezembro. Além disso, o fim do ano é época de outras entradas extras de dinheiro, como férias, bônus e caixinhas de Natal.

Como aproveitar essa renda adicional da melhor maneira?

A diretora do Serasa Consumidor Fernanda Monnerat e o economista-chefe da Nova Futura Corretora de Valores, Pedro Paulo Silveira, afirmam que o melhor destino é quitar dívidas. "Pagar juros é escravidão", diz Silveira.

O advogado especializado em direito imobiliário, Marcelo Tapai, lembra a importância de quitar as dívidas com a casa própria para não perder o imóvel.

Depois de pagar as dívidas, o negócio é poupar e investir. Se não tiver dívidas, pode até se divertir um pouco, mas deve guardar uma parte para aplicações.

Márcio Araújo, gerente de investimentos da cooperativa de crédito Sicredi, afirma que é possível começar um investimento. "Use o dinheiro para fazer o primeiro depósito em um investimento e se programe para aplicações mensais", diz.

Veja as dicas dos especialistas para usar essa renda extra:

1) Pague as dívidas
Shutterstock

Se o dinheiro não dá para pagar todas as dívidas, quite-as nesta ordem:

  • Dívidas com contas essenciais (água, luz, plano de saúde –no caso do plano de saúde, após 60 dias sem pagar, a pessoa perde o contrato).
  • Prestações da casa própria atrasadas. Após três meses sem pagar, o banco dá 15 dias para quitar a dívida. Caso contrário o imóvel vai a leilão e o comprador perde o que pagou.
  • Dívidas com juros altos, como cheque especial e cartão de crédito. Segundo o Banco Central, os juros médios do cheque estão em 328,9% ao ano e os do cartão em  475,8% ao ano (dados de outubro).
  • Dívidas com juros menores, como crédito pessoal  (136,6% ao ano) ou empréstimo consignado (29,5% ao ano).

2) Adiante parcelas
iStock

Diminuir a dívida de financiamentos ou carnês também é um bom uso para as rendas extras. Mesmo sem estar com o nome sujo, o adiantamento dessas parcelas rende economia, pois a instituição é obrigada a abater os juros das parcelas pagas antecipadamente.

3) Guarde para o início do ano
Getty Images

Dezembro e janeiro são meses de gastos elevados. Além da festa de Natal e das comemorações do Ano Novo, o início do ano tem despesas muito altas, como pagamento de IPVA, IPTU, férias, matrículas escolares. Se não poupou um pouco por mês, durante o ano, para pagar essas despesas, que é o indicado, deve guardar parte da renda extra para esse fim. 

4) Faça uma reserva de emergência
Getty Images

Os especialistas recomendam que todos tenham uma reserva financeira de emergência no valor de seis meses de despesas fixas da família, em média. As rendas extras podem ser usadas para iniciar ou complementar essa reserva. Silveira sugere deixar esse dinheiro no Tesouro Selic ou em fundos DI, que são investimentos menos arriscados e com facilidade para sacar. 

5) Poupe para a aposentadoria
Arte/UOL

Se não tem dívidas e já tem a reserva de emergência para despesas imediatas, outro bom destino para as rendas extras é engordar a poupança para a aposentadoria. Uma sugestão é aplicar em previdência privada para complementar a aposentadoria do INSS, afirma Fernanda Monnerat.

Márcio Araújo complementa: "Se fizer a declaração de Imposto de Renda completa, também pode usar o dinheiro para fazer um plano de previdência do tipo PGBL e já pagar menos imposto em 2017."

Pedro Paulo Silveira diz que é melhor fazer uma gestão própria da carteira da aposentadoria, investindo em títulos do Tesouro Direto e até mesmo em ações. "Não é para especular em ações, mas investir em empresas que tenham bom desempenho e podem valorizar no futuro", diz. 

6) Compre à vista no Natal
Thinkstock

A renda extra também pode ser utilizada na compra dos presentes de final de ano, pois, com dinheiro na mão, é sempre mais fácil negociar descontos nos preços dos produtos. A recomendação para os presentes de Natal é que estes estejam dentro do orçamento e sejam pagos à vista, pois não devem ser feitas dívidas para pagar essas compras. 

7) Faça bons negócios
Getty Images/iStockphoto

Se pagou as dívidas e já tem uma reserva, é possível aproveitar o dinheiro na mão para obter descontos na compra de viagens, eletrodomésticos e outros produtos de que realmente precise. Só não vale gastar com compras por impulso.

8) Invista em educação
Danilo Verpa/Folhapress

Investir em cursos para aprimoramento pessoal é outro destino para a renda extra. Aprender uma nova língua, começar uma faculdade, uma pós-graduação ou até mesmo engordar a poupança para estudar no exterior.

Tecnologia ajuda na organização das finanças

  •  

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos