Bolsas

Câmbio

Informalidade sustenta menor taxa de desemprego desde 2002

Da Redação
Em São Paulo

(Texto atualizado às 14h18)

A taxa de desemprego caiu de 7,6% em novembro para 6,8% em dezembro, atingindo o menor percentual desde 2002, quando o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) adotou a metodologia atual da pesquisa (veja gráfico no final do texto). Em 2008, o índice desceu para 7,9%, também o menor da série anual, ante 9,3% no ano anterior.

A queda no desemprego, no mesmo mês em que o país perdeu mais de 600 mil postos de trabalho formais, é explicada pelo aumento da informalidade, segundo o economista Francisco Barone, da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro.

'DEMISSÕES NÃO AFETARÃO PEQUENOS'
COMENTE ESTE VÍDEO
"Houve um aumento sazonal do emprego temporário em função do Natal, o que compensou em parte a queda substancial do emprego formal", afirma Barone.

Segundo ele, além das contratações para o Natal, "a informalidade, no sentido estrito de emprego sem carteira assinada, tende a absorver boa parte dos funcionários que perderam emprego".

O economista explica, ainda, que as grandes empresas sofreram maior impacto da crise internacional. Já as pequenas, que muitas vezes usam mão-de-obra informal, não estão necessariamente demitindo funcionários.

Dado surpreende
Analistas consultados pela agência Reuters esperavam uma taxa de 7,2% em dezembro, de acordo com a mediana de 19 estimativas.

A população desocupada caiu 11% em relação a novembro e 6,3% sobre dezembro de 2007, para 1,6 milhão de pessoas. Já o total de brasileiros ocupados ficou estável em relação a novembro, mas subiu 3,4% sobre dezembro de 2007, para 22,1 milhões.

O rendimento real médio teve alta de 0,5% em dezembro sobre novembro e de 3,6% sobre dezembro de 2007, para R$ 1.284,90.

Recife tem maior queda no desemprego
Na pesquisa por regiões, em comparação com novembro, Recife registrou a maior queda no desemprego, de 1,9 ponto percentual, para 7,8%, seguida por São Paulo, de 1,1 ponto percentual, para 7,1% e pelo Rio de Janeiro, de 0,7 ponto percentual, para 6,2%.

TAXA DE DESOCUPAÇÃO NA REGIÃO METROPOLITANA (EM %)
PeríodoTotalRecifeSalvadorBelo HorizonteRio de JaneiroSão PauloPorto Alegre
dez/0210,511,314,88,38,911,77,5
dez/0310,912,115,710,48,611,87,9
dez/049,611,115,48,58,59,86,6
dez/058,313,914,676,87,96,7
dez/068,410,412,47,16,596,6
dez/077,49,911,45,56,185,3
nov/087,69,710,35,26,98,25,3
dez/086,87,8105,56,27,14,7
Caged
Os dados do IBGE são mais animadores do que os do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, que mostrou, no início da semana que em dezembro houve uma redução de 654.946 empregos com carteira assinada no Brasil.

Segundo a pesquisa, foi a maior queda mensal desde maio de 1999, quando o ministério começou a usar a metodologia atual. O recorde anterior havia sido em dezembro de 2004, quando o país perdeu 352.093 vagas.

De acordo com o órgão, em dezembro de 2008, o setor mais afetado foi a indústria de transformação, que engloba vestuário, automóveis, calçados e móveis. Somente nestes segmentos, foram perdidas 273.240 vagas de emprego.











(Com informações da Reuters)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos