Indústria paulista corta 66,5 mil empregos no trimestre; março tem recuperação

Da Redação

Em São Paulo

O emprego na indústria do Estado de São Paulo encolheu 2,73% no primeiro trimestre deste ano, o que equivale ao fechamento de 66,5 mil postos de trabalho.

Em março, no entanto, houve queda de apenas 0,2% ante fevereiro, no cálculo com ajuste sazonal, e alta de 0,31% sem ajuste, o que corresponde à abertura de 7.500 vagas.


Os dados foram divulgados nesta terça-feira pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

As contratações no setor de açúcar e álcool puxaram o emprego na indústria paulista em março. No mês, considerando os dados sem ajuste sazonal, o emprego no setor de açúcar e álcool cresceu 1,11%, enquanto no restante da indústria paulista houve queda de 0,8%.

Dos 22 sindicatos pesquisados para o índice, 16 relataram demissão no mês, cinco apontaram contratação e um verificou estabilidade do emprego.

Entre os setores, o destaque de contratações ficou com "Fabricação de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis", com salto 23,9% em março. No ano, esse ramo registra aumento de 19,9% no nível de emprego.

Industriais continuam pessimistas
Outra pesquisa da Fiesp, o Sensor, indicador antecedente que mede o humor do industrial no mês corrente, caiu para 49,5 pontos na primeira quinzena de abril, ante 50,3 pontos na segunda quinzena de março.

Qualquer número abaixo de 50 indica pessimismo. O indicador havia ultrapassado essa marca no fim de março pela primeira vez desde o aprofundamento da crise global.

O componente de emprego do Sensor teve ligeira queda para 47,7 pontos no início deste mês, ante 47,9 na leitura anterior.

(Com informações da Reuters)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos