Brasil eleva aporte ao FMI de US$ 10 bi para US$ 14 bi

Da Redação, em São Paulo

(Texto atualizado às 16h25)

O Brasil decidiu elevar de US$ 10 bilhões para US$ 14 bilhões o aporte do país ao programa "New Arrangement to Borrow" (NAB, "Novo Arranjo para Empréstimos, em português) do Fundo Monetário Internacional (FMI), disse nesta quarta-feira o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

 

Segundo Mantega, o valor disponibilizado pelo Brasil fica à disposição do FMI e só sai das reservas internacionais se for solicitado.

Com a decisão, o Brasil passa a ter poder de veto nas decisões do FMI relacionadas com o programa.

O NAB é uma linha de crédito do FMI criada pelo G20 (grupo que reúne os sete países mais industrializados do mundo, a União Europeia e 12 economias emergentes).

Sem contar o NAB, cujas regras "acabaram de ser definidas", segundo Mantega, o FMI tem atualmente recursos no valor de US$ 250 bilhões. "Nós do G20 achamos que esse recurso era pequeno", afirmou o ministro.

O dinheiro fica disponível para ajuda a países com problemas econômicos diversos e para incentivo a exportações e importações.

(Com informações da Reuters)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos