Governo zera IPI do setor de móveis e prorroga de materiais de construção

Da Redação, em São Paulo

(Texto atualizado às 15h38)

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quarta-feira que o governo zerou o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) do setor de móveis e prorrogou o corte de IPI sobre materiais de construção.

MANTEGA: LOJAS DE MÓVEIS DEVEM FAZER PROMOÇÕES

No caso dos móveis, o corte de impostos vai até 31 de março; no dos materiais de construção, cuja redução estava prevista para terminar no fim do ano, a prorrogação vai até 30 de junho.

A desoneração dos móveis vai custar R$ 217 milhões ao governo, segundo Mantega. A dos materiais de construção, R$ 686 milhões.

O IPI dos móveis de madeira estava em 5% e passa a 0%. O dos móveis de plástico e aço era de 10% e também será zerado.

O ministro disse esperar que esse corte de imposto "seja repassado para o preço dos produtos".

Corte de IPI de matéria-prima

Mantega acrescentou que os painéis de madeira (matéria-prima para fabricação de móveis) certificados com selo verde (aqueles que são produzidos a partir de florestas plantadas especialmente para este fim) também terão corte de IPI.

Para ele, a medida contribuirá com o meio ambiente e com a formalização do setor. "Tem gente vendendo sem o tributo, então nós tiramos o tributo e o jogo fica empatado", disse o ministro, referindo-se ao fato de que, sem o IPI, os produtores têm menos incentivos para ficarem na informalidade.

(Com informações da Reuters)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos