Bolsas

Câmbio

Comerciantes vendem gasolina sem impostos em prol da redução de carga tributária

Vinícius Konchinski

da Agência Brasil

São Paulo - Oito postos de combustível de diferentes cidades do país estão vendendo hoje (25) gasolina com o preço calculado sem a cobrança de impostos. A ação faz parte de um manifesto pela redução da carga tributária.

O ato está sendo organizado pelo Movimento Endireita Brasil e o Instituto Mises Brasil. Postos de São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Vitória, do Rio de Janeiro e mais duas cidades participam da manifestação.

Em São Paulo, por exemplo, o ato reduziu o preço do litro da gasolina de R$ 2,49 para R$ 1,18 em um posto da capital. Seis mil litros do combustível foram postos à disposição dos motoristas, que fazem fila no local. A diferença no preço está sendo paga pelos organizadores da manifestação.

Para Ricardo Salles, presidente do Endireita Brasil, a carga tributária brasileira é maléfica à economia nacional e, por isso, precisa ser reduzida. "Cada centavo que o cidadão gasta com imposto é um centavo a menos que ele tem para gastar e fazer a economia girar."

Embora ciente de que os impostos têm a função de financiar políticas públicas, Salles afirma que a cobrança é arbitrária. "Se a população pudesse escolher, preferiria não pagar impostos e contratar particularmente todos os serviços prestados pelo governo", diz ele.

"Se o governo usasse bem o imposto que a gente paga, não tinha discussão. Todo mundo pagava", afirmou o entregador Michael Araújo, de 26. Ele foi um dos que aproveitaram a manifestação para encher o tanque de sua moto com gasolina com preço reduzido pela metade. "Eu gasto R$ 50 por semana com combustível. Sem imposto, gastaria uns R$ 20", afirmou. "São mais de R$ 100 de economia por mês."

Para o consultor em finanças públicas Amir Kahir, a simples eliminação dos impostos não é uma solução viável nem benéfica. Ele disse que a manutenção do Estado depende dos tributos, mas defendeu uma redução "seletiva". "Não é simplesmente cortar impostos", disse. "É preciso analisar as alíquotas e reduzir o imposto pago pela população mais pobre."

Segundo ele, cidadãos que ganham até dois salários mínimos por mês gastam 49% de sua renda com tributos. Quem recebe mais de 30 salários mínimos, gasta 26%.

Kahir ainda afirmou que a carga tributária brasileira é semelhante à de outros países da América Latina e Caribe. Ele ressaltou, porém, que o gasto do governo com o pagamento de juros é um problema grave e que precisa ser solucionado com urgência.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos