Bolsas

Câmbio

Crescimento do Brasil pode melhorar a avaliação de países vizinhos

Da Redação, em São Paulo

Se a economia brasileira continuar crescendo em ritmo acelerado, os ratings soberanos de outros países na região podem sofrer um impacto positivo no médio prazo, segundo relatório divulgado nesta segunda-feira (13) pela agência americana de classificação de risco Moody's Investors Service.

O rating é a avaliação por parte de empresas especializadas como a Moody´s sobre a capacidade de um país ou uma empresa saldar seus compromissos financeiros.

"O Brasil não é a China da América Latina, pelo menos não ainda, devido ao limitado fluxo de comércio e capital entre países da região. No entanto, se o desempenho econômico do Brasil se tornar ainda mais um motor regional ao longo dos próximos anos, os países vizinhos sentirão os efeitos positivos no fortalecimento de seus ratings soberanos", diz Sergio Valderrama, analista responsável pelo relatório.

Segundo Valderrama, as economias latinas ainda não são tão abertas e integradas regionalmente como na Ásia, mas isso está mudando gradualmente.

A abertura do comércio na América Latina cresceu de cerca de 40% do PIB (Produto Interno Bruto) no final dos anos 90 para 55% entre 2006 e 2009, mas ainda está bem abaixo do índice na Ásia, que é de 110%.

O PIB do Brasil, de U$ 2,1 trilhões, é maior que o PIB combinado dos outros países da região, que soma U$ 1,5 trilhão.

Entre os impactos diretos que o crescimento da economia do Brasil deve causar em seus vizinhos estão a maior troca de bens e serviços, assim como o aumento de investimentos diretos, segundo o relatório da Moody's. Já as influências indiretas referem-se, por exemplo, a um sentimento otimista dos mercados financeiros internacionais em relação à região.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos