União Europeia defende ação conjunta contra desvalorização do dólar

Da Redação, em São Paulo*

A União Europeia acredita que uma ação contra a desvalorização do dólar teria mais efeito se fosse uma iniciativa coordenada por vários países, ao invés de uma ação isolada, como a tomada pelo governo do Japão nesta quarta-feirta (14). "Ações unilaterais não são a forma apropriada de lidar com desequilíbrios globais", afirmou o chairman do Eurogroup, Jean-Claude Juncker.

Pela primeira vez desde 2004, o governo japonês interveio nesta quarta-feira no câmbio porque na véspera a moeda americana fechou no menor nível em comparação ao iene em 15 anos.

Após a decisão do Banco do Japão, que comprou dólares no mercado à vista, o iene chegou a cair 2% e deu início a um movimento de alta global do dólar. A medida também ajudou a impulsionar o euro, o dólar australiano e a libra esterlina frente ao iene.

O ministro das Finanças Yoshihiko Noda afirmou que o Japão interveio no mercado de câmbio porque o impacto da alta do iene sobre a economia não podia ser ignorado. Ele disse, ainda, que o país continuará a agir, mas que agirá sozinho.

Mesmo após o fechamento do mercado no Japão, o governo japonês continua intervindo no câmbio em Nova York.

"A alta provavelmente vai parar na casa de 80, a não ser que a economia dos Estados Unidos dê um salto ou que o Fed passe a uma política mais altista. Até que isso aconteça, eu não acho que os ganhos no dólar/iene podem ser sustentados", disse Lee Hardman, economista do Bank of Tokyo Mitsubishi-UFJ, em Londres.

Segundo relatório do banco BNP Paribas, "a principal história do dia é a intervenção do Japão no câmbio". Por meio do documento, o banco disse acreditar "que as chances das autoridades japonesas reverterem a tendência do iene são pequenas".

Também nesta quarta-feira, o Banco Central da Colômbia anunciou que vai reiniciar a compra de pelo menos US$ 20 milhões por dia, ao longo dos próximos quatro meses, para atenuar a valorização da sua moeda.

Neste primeiro dia de compras, o governo colombiano comprou US$ 19,9 milhões, afirmaram operadores de mercado.

(* com informações da Reuters)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos