Idade para se aposentar também é de 65 anos no México, Austrália e Suíça

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images/iStockphoto

O governo federal apresentou uma proposta de reforma da Previdência que prevê que brasileiros e brasileiras só possam se aposentar a partir dos 65 anos. Essa regra já é aplicada em países como México, Bélgica e Suíça.

Em alguns lugares, a idade atual é 65, mas já tem data marcada para subir. É o caso da Dinamarca (subirá de 65 para 67 anos até 2022), da Austrália (subirá aos 67 anos até 2023) e da Alemanha (passará de 65 para 67 anos até 2029).

Em outros, a idade mínima para se aposentar é maior que 65 anos: Itália (é de 66 anos, subirá para 67 em 2019), Portugal (é de 66 anos e dois meses), Estados Unidos (está em 66 e subirá para 67 anos até 2022). Na Grécia, que passou por uma grande crise econômica, a idade subiu para 67 anos para homens e mulheres.

Na Argentina e no Chile, ainda há idades diferentes para homens (65 anos) e mulheres (60 anos). Os dados são de uma pesquisa da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico).

No Brasil, existe atualmente a opção de se aposentar por tempo de contribuição (30 anos para mulheres e 35 para homens), independentemente da idade da pessoa --e a reforma a Previdência quer acabar com isso.

'Já estão pensando até em 67 anos'

"A maior parte dos países tem uma aposentadoria por idade. A média mundial está em 65 anos", diz o advogado previdenciário Wladmir Martinez. 

  • 49849
  • true
  • http://economia.uol.com.br/enquetes/2016/12/06/sobre-o-projeto-de-reforma-da-previdencia-voce.js

"A maioria dos países já tem os 65 anos de idade [como mínimo] para homens e mulheres. Já estão pensando até em 67 anos", diz o economista Renato Fragelli, professor da FGV. 

A proposta aqui no Brasil é que a idade mínima não seja fixa, mas sim que acompanhe o aumento da expectativa de vida dos brasileiros ao chegar à aposentadoria. Com isso, o 65 subiria para 67 até 2060, segundo o secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano. 

Para especialista, faltou regra de transição 

Para o professor de Direito Previdenciário da PUC-SP Wagner Balera, é importante ter uma idade mínima para as aposentadorias, mas ele acredita que o melhor seria "ter uma regra de transição". "Estamos saindo do zero para 65 anos."

"Reino Unido, Espanha e Itália, por exemplo, já adotaram o modelo de aumentar a idade mínima conforme a expectativa de vida. A diferença é que eles aumentam um ano na idade mínima a cada três anos. No Brasil, serão considerados os índices divulgados pelo IBGE", diz.

É o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que calcula por aqui a chamada "expectativa de sobrevida", que é quantos anos o brasileiro costuma viver depois de se aposentar. Esse dado é divulgado uma vez por ano, justamente para ajustar os cálculos da Previdência.

Igualdade entre homens e mulheres

Assim como o Brasil, alguns países têm regras diferentes para a aposentadoria de homens e mulheres, mas estão tentando mudar essa situação. A proposta por aqui é igualar a idade mínima para homens e mulheres assim que a reforma entrar em vigor. Não foi proposta um aumento gradual da idade para as mulheres.

No Reino Unido, a idade mínima para aposentadoria dos homens é 65 anos --e a regra será igual para as mulheres até 2018. Na Áustria, essa "igualdade de gênero" deve acontecer até 2033. 


PRINCIPAIS PONTOS DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

  • Idade mínima para se aposentar: 65 anos
  • Tempo mínimo de contribuição: 25 anos (na prática, 49 anos para chegar aos 100% do valor)
  • Regra igual para homens e mulheres
  • Vale para trabalhadores de empresas privadas, servidores públicos e políticos. Militares ficam fora
  • Homens com 50 anos ou mais e mulheres com 45 anos ou mais terão regra de transição: só terão de trabalhar 50% a mais do que falta hoje para sua aposentadoria (se faltarem dois anos, trabalham três)
  • Nada muda para quem já tem tempo de aposentadoria pelas regras atuais
  • Pensão por morte não pode ser acumulada com aposentadoria e será de 50% da aposentadoria do falecido, mais 10% por dependente
  • O Congresso ainda vai analisar o projeto, que só vai valer em 2017

LEIA TAMBÉM:

Quem já tem condições de se aposentar não deve se preocupar, diz Temer

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos