UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

Como falam os candidatos à Presidência

Reinaldo Polito

Os três principais candidatos à Presidência, José Serra, Dilma Rousseff e Marina Silva vão aparecer cada vez mais na TV. Cada um com seu estilo, com suas qualidades e defeitos tentam convencer os telespectadores de que estão preparados para chegar ao Palácio do Planalto.

Fiz uma avaliação técnica da comunicação dos candidatos e procurei identificar em cada um quais são suas características mais importantes, seus pontos fortes e onde está o calcanhar de Aquiles. Acompanhe esta análise e compare com sua opinião. Se não ajudar a escolher o melhor candidato, pelo menos servirá como aprendizado para a comunicação.

Durante as entrevistas todos procuram usar o humor e a descontração. Esse é um dos melhores recursos para demonstrar naturalidade e um importante ingrediente para conquistar credibilidade. Eu estava curioso para ver como se sairiam, pois os três nunca foram muito chegados a fazer gracinhas.

Fiquei surpreso com a desenvoltura do trio. Todos acertam nesse aspecto, pois as brincadeiras foram na medida certa e no momento oportuno, sem risco de caírem na vulgaridade. Ponto positivo para os três.

Os três também abordam assuntos relevantes com envolvimento e boa dose de emoção. Demonstrar interesse e envolvimento pelo assunto tratado é essencial para o orador. Afinal, como poderiam conquistar os eleitores se eles mesmos não demonstrassem interesse pelo tema que tratavam?!

Nesse quesito também há acerto. Ninguém ultrapassou a linha amarela até agora. Colocam tempero na dose apropriada para a importância do tema abordado. Falar de maneira emocionada sobre assuntos triviais pode ser visto como teatro e comprometer a credibilidade. Mais um ponto positivo para os três.

Por melhor que seja o desempenho dos três candidatos, nem tudo são flores. Com relação aos aspectos negativos, todos foram contemplados. Alguns podem ser considerados mais ou menos graves que outros e até influenciar na decisão de eleitor. Caberá a cada candidato se aplicar para corrigir os problemas e aperfeiçoar ainda mais sua comunicação.

Dilma tem um problema que só a experiência poderá sanar. Quando trata de assuntos que fogem um pouco do seu conhecimento, fala de maneira hesitante, procurando com dificuldade as palavras para compor o pensamento. Até consegue falar sobre o tema, mas deixa claro que aquela matéria não é bem a sua praia.

Essa é uma questão delicada e que precisa ser encarada com determinação pela candidata. Nos debates com os adversários e com o público, não será possível escolher as perguntas e os temas. Saber como se sair das situações mais delicadas é importante para não demonstrar insegurança ou fragilidade.

O problema da Marina está no fato de desviar com frequencia os olhos dos interlocutores para se concentrar na mensagem e no vocabulário excessivamente politizado, com poucas alternâncias no volume da voz e na velocidade da fala. Em determinados momentos, a falta de ritmo chega a tornar a fala cansativa. Sem contar que é quase um discurso de uma nota só, pois gira sempre em torno de temas ambientalistas.

A candidata tem consciência dessa sua característica e tenta enveredar por outros temas que fogem do meio ambiente, mas seu envolvimento com a matéria é tão intenso que não resiste à tentação e sempre volta às questões ambientais. Quem deseja ser presidente da República, porém, precisa transitar com facilidade sobre a diversidade dos assuntos.

Serra tem fama de ser carrancudo. Em determinados momentos, quando é contrariado, fala de forma ríspida, mas faz grande esforço para frear esse ímpeto até com tiradas bem-humoradas. Entretanto, deixa evidente que está se esforçando para não ser agressivo.

O candidato também demonstra ter consciência desse seu pronto frágil e procura se mostrar mais suave no momento de contestar as questões mais contundentes e brincar com a circunstância e com o entrevistador, mas sua atitude ainda não é natural. Vai precisar se exercitar bastante para se mostrar simpático sem fazer esforço.

SUPERDICAS DA SEMANA

- Descubra seus pontos fracos na comunicação e trabalhe para eliminá-los
- Fale sempre com energia e envolvimento
- Use o humor na medida certa, sem excesso nem falta
- Se for atacado num debate, procure manter a serenidade para não perder o controle
Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: "Assim é que fala", "Como falar corretamente e sem inibições" e "O que a vida me ensinou", publicados pela Editora Saraiva
Reinaldo Polito

Reinaldo Polito é mestre em ciências da comunicação, palestrante e professor de expressão verbal. Escreveu 19 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares

Site: www.reinaldopolito.com.br
e-mail: polito@uol.com.br

Hospedagem: UOL Host