UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

21/07/2009 - 08h50

Crise pode gerar emprego para auditores internos

SÃO PAULO - Em tempos de crise financeira mundial, perder o emprego é um dos principais temores dos profissionais. A indústria paulista, por exemplo, contabilizou 8 mil postos de trabalho a menos em junho. Entretanto, para algumas pessoas, este período de instabilidade é um sinônimo de oportunidade.

"Talvez nunca, em toda a história, o profissional de auditoria interna teve tanta importância como agora. Na crise, o auditor interno ganha um destaque ainda maior no sentido de ajudar as organizações a atingirem seus objetivos de negócio, como aumentar a lucratividade, explicou o presidente do Audibra (Instituto dos Auditores Internos do Brasil), Oswaldo Basile.

O papel do auditor interno

A principal função do auditor interno é avaliar e buscar a melhoria em três grandes áreas: gerenciamento de riscos, controle interno e processos de governança corporativa.

"Ao analisar os processos de gerenciamento de risco de uma empresa, o auditor interno irá checar os riscos que podem comprometer ou impedir que uma determinada companhia alcance as suas metas de negócios. Além disso, esse profissional também analisará o sistema de controles internos da organização, ou seja, políticas, registros, controles, revisões e aprovações, dentre outros. Por último, ele também deve avaliar as práticas de governança corporativa da organização, com destaque para princípios como transparência, prestação de contas, responsabilidade corporativa e ética e o nível de sustentabilidade".

Formação

Segundo Basile, no Brasil, a profissão de auditor interno não é regulamentada, e ainda não existe um curso superior específico para esses profissionais. "A auditoria interna é uma função multidisciplinar podendo ser exercida por pessoas com diversas formações acadêmicas, como administração, contabilidade, engenharia, direito e medicina, dentre outras. Apesar disso, existem diversos cursos de extensão, pós-graduação e formação profissional como as certificações profissionais que podem fazer toda a diferença na carreira".

Há quatro tipos de certificações em nível internacional para um auditor interno. São elas: CIA (Certified Internal Auditor), que é a principal certificação do mercado mundial, garantindo ao profissional o conhecimento das melhores práticas e das normas internacionais de auditoria interna; CCSA (Certification in Control Self Assessment), que certifica o conhecimento em autoavaliação de controles; CFSA (Certified Financial Services Auditor), que garante que o profissional possa atuar como um auditor financeiro; e o CGAP (Certified Government Auditing Professional), para qualificar o auditor na área governamental.

Para receber o CIA, por exemplo, o profissional precisa realizar quatro exames, com cem questões cada um. Estas provas são realizadas pelo Audibra.

Salário

Basile revela ainda que um auditor interno, em início de carreira, com dois a três anos de experiência na área, recebe um salário médio de R$ 2 mil a R$ 3 mil.

Já um auditor sênior, com cinco a sete anos de experiência na área, ganha um salário que varia entre R$ 4 mil a R$ 6 mil. Já um gerente de auditoria interna com mais de dez anos de mercado tem remuneração entre R$ 8 mil a R$ 12 mil. Por fim, a remuneração de um diretor de auditoria pode chegar a R$ 30 mil por mês.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host