UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

20/08/2009 - 14h01

Visão estratégica é um dos principais desafios para os auditores internos

SÃO PAULO - Durante os próximos anos, um dos principais desafios para os auditores internos será desenvolver uma visão estratégica, o que ajudará na tarefa desses profissionais dentro de uma empresa, que é o de verificar e avaliar sistemas e procedimentos para minimizar as probabilidades de fraudes, erros ou práticas ineficazes.

Pesquisa realizada pela Protiviti, consultoria especializada em auditoria interna, constatou que 66% dos profissionais entrevistados consideram primordial evoluir nos conceitos de ERM (Enterprise Risk Management) - gerenciamento de risco corporativo.

"O auditor interno precisa entender o mundo dos negócios em que a empresa está inserida e não só os processos internos da empresa", explica o sócio-diretor da Protiviti Brasil, Waldemir Bulla. Assim, fica mais fácil para o profissional de auditoria interna desenvolver a visão estratégica, já que terá noção dos riscos aos quais a empresa está submetida.

Desenvolvimento pessoal

Além da necessidade de uma visão estratégica, os profissionais dessa área terão de se preocupar em desenvolver habilidades específicas. Prova disso é que mais de 70% dos auditores internos consultados disseram que precisam aprimorar as técnicas de apresentação para os seus clientes internos e também no que se refere à gestão do tempo.

"O profissional precisa desenvolver um estilo de apresentação porque ele está mais exposto atualmente, já que ele pode ter de fazer uma apresentação em um órgão público, por exemplo. Por isso, ele precisa estar preparado", afirmou Bulla.

Trabalho

Embora a questão de averiguação de fraude não seja a principal função de um auditor interno, com a crise econômica mundial, os profissionais dessa área passaram a ficar mais preocupados com isso. Segundo a pesquisa, mais de 70% dos auditores internos entrevistados afirmaram ter esse temor.

Além disso, a mesma proporção de auditores internos disse que está preocupada com o uso da tecnologia aplicada na execução do trabalho. Diante disso, a segurança em TI (tecnologia da informação) é um fator essencial para esses profissionais.

Sobre o estudo

A pesquisa foi realizada durante a 67° Conferência Anual do IIA (Institute of Internal Auditors), em São Francisco, na Califórnia (EUA). Entre os auditores internos pesquisados, aproximadamente 60% ocupam posições de direção ou de nível gerencial. Além disso, 77% desses profissionais pertenciam a empresas com receita acima de US$ 500 milhões.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host