UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

26/08/2009 - 15h59

Governo e empresas devem se unir para suprir demanda de profissionais de TI

SÃO PAULO - Em tempos de crise, as taxas de desemprego tendem a aumentar. Entretanto, em algumas áreas, como a de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), sobram vagas para profissionais qualificados.

Para suprir a demanda por esses profissionais, o presidente da Assespro-SP (Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação), Roberto Carlos Mayer, destaca que é preciso haver a aproximação de empresas privadas e do governo federal para criar iniciativas voltadas à formação técnica de profissionais.

Iniciativas que podem dar certo

Recentemente, o governo do estado de São Paulo e a IBM Brasil firmaram parceria que visa contribuir para a formação de profissionais de TI (Tecnologia da Informação) no Centro Paula Souza.

O convênio possibilita o treinamento de professores, o apoio ao desenvolvimento de programas para cursos pós-técnicos (nível médio) e especializações (nível superior), além de tornar disponível aos estudantes a utilização de softwares e computadores de grande porte.

Outra iniciativa para a qualificação de profissionais é a da Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro), que mantém parceria com empresas de Campinas (interior de São Paulo), para ministrar palestras motivacionais e auxiliar financeiramente os candidatos que querem se especializar na área.

"Nos últimos anos, o setor de TI apresentou uma sólida trajetória de expansão e exemplos como este só ajudam a fortalecer o setor. Ao entregar mão-de-obra capacitada, aumentamos a possibilidade das empresas de TI crescerem ainda mais", explica Mayer.

Mercado de trabalho

Segundo Mayer, o setor de TI precisa, sobretudo, de profissionais que exerçam as funções de programadores e de desenvolvedores de software.

Mas também há carência de profissionais que desempenham outras funções. Um levantamento da Softex apontou que faltam aproximadamente 20 mil profissionais para o setor de TI. Nos próximos cinco anos, serão 200 mil vagas disponíveis, considerando-se a projeção média de crescimento do mercado interno e o número de alunos formados anualmente pelas instituições de ensino.

De acordo com o Ministério da Educação, em 2007, foram formados 2,338 milhões de profissionais para a área de TI. Enquanto isso, no mesmo período, o País tinha 4,9 milhões de estudantes universitários.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host