UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/09/2009 - 11h00

Estágio dos sonhos: o que ele oferece?

SÃO PAULO - O que o estágio dos sonhos tem que os outros não têm? Para a gerente de Treinamento do Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios), Carmem Alonso, o fundamental é que as atividades sejam compatíveis com o que é aprendido no curso e, principalmente, com as expectativas do estudante.

"Em cada área, existem muitas especializações e possibilidades de atuação. Quanto mais cedo o estudante descobrir o que deseja para si, mais cedo ele conseguirá atingir seus objetivos. É importante saber o caminho a seguir para não errar e se perder no meio do caminho", explica.

Por exemplo, um engenheiro eletricista pode trabalhar na área técnica, mas também possui o conhecimento necessário para atuar com Administração de Contratos ou com Vendas. E se a preferência for pelo Departamento Comercial, devem ser procurados estágios nessa área desde cedo, para que seja adquirida a experiência necessária. Não se pode esquecer que é muito mais difícil migrar de área de atuação depois de formado.

Já um jornalista pode trabalhar nas editorias de esportes, cultura, política ou economia, por exemplo, bem como tem a chance de optar entre rádio, jornal, revista, televisão, internet ou assessoria de imprensa. Se o estagiário não souber o que quer, nada de pânico. A realização de estágios ajuda neste ponto também.

Programa de desenvolvimento

É essencial ainda que o estágio conte com um programa de desenvolvimento, que deve contemplar o equilíbrio entre os desafios, a quantidade de projetos a serem elaborados e a rotina operacional. O estagiário não vai aprender muito, se passar o dia realizando tarefas burocráticas ou operacionais, como tirar xerox, organizar arquivos ou cuidar da agenda da equipe.

Pensando nisso, muitas empresas dão a oportunidade a seus estagiários de elaborar projetos de aplicação prática, a serem aprovados pela diretoria ou por um comitê gestor responsável pelos estagiários. Por exemplo, algumas empresas pedem aos estudantes que elaborem projetos de redução de custos e/ou otimização de processos, oferecendo até prêmios internacionais para os melhores, de forma que muito esforço acaba sendo empreendido.

Entretanto, Carmem lembra que projeto algum se sustenta sem a parte operacional: a rotina. Daí a importância de equilibrar atividades estratégicas e operacionais no programa de desenvolvimento do estagiário.

"Até porque, empresa que contrata estagiário e não oferece programa de desenvolvimento acaba ficando com uma imagem negativa no mercado, já que os estudantes comentam entre si. O estágio precisa validar o caminho escolhido pelo jovem", ressalta a gerente do Nube.

Job rotation e salário

Outro ponto interessante de alguns estágios é o sistema de job rotation, que possibilita a migração de função e, às vezes, também de departamento, o que permite ao estagiário adquirir uma valiosa visão do todo, de acordo com Carmem.

Já quanto ao salário, segundo a especialista, este deve ser compatível com o mercado. Vale a pena perguntar para pessoas que estão estagiando na área quanto recebem de bolsa. Além disso, a organização precisa oferecer possibilidade de reconhecimento financeiro, conforme o desempenho e a evolução do estudante.

Aprendizado contínuo

Um bom estágio também oferece aprendizado contínuo ao estudante, o que engloba desde treinamentos em âmbito comportamental - a exemplo de cursos sobre como trabalhar em equipe, como se comunicar ou como usar a inteligência emocional - até treinamentos práticos que visam à melhoria das atividades rotineiras, caso dos cursos voltados ao conhecimento de determinada ferramenta tecnológica usada na empresa.

"O aprendizado prático é mais voltado à função e envolve bastante feedback dos gestores. O ponto alto dos treinamentos teóricos ou práticos é que, além de ajudarem no desempenho das atividades diárias, enriquecem o currículo do estagiário".

Que venham as críticas!

Muitos estudantes podem achar que o estágio dos sonhos é aquele em que não são criticados e o chefe parece ser um verdadeiro pai. Eles não poderiam estar mais enganados.

Segundo Carmem, o estágio precisa oferecer feedbacks periódicos ao estagiário, estruturados, com data e hora marcada. E feedbacks necessariamente envolvem críticas e cobranças. As boas empresas cobram dos estagiários como se eles fossem profissionais em início de carreira, e não como profissionais "café com leite", nas palavras da especialista.

Se preparando para a realidade

"É comum que estagiários e profissionais em início de carreira apresentem excesso de confiança e arrogância", diz Carmem.

Dificilmente, entretanto, as empresas e seus gestores dão espaço a pessoas com essa atitude. Logo, o estágio dos sonhos é aquele que passa ao estagiário, desde o início, a realidade do mercado de trabalho, que hoje exige dos profissionais que quiserem sobreviver no mundo corporativo humildade e vontade para aprender e se aprimorar sempre.

Os relacionamentos no trabalho

Engana-se quem pensa que o estágio dos sonhos é aquele em que os colegas de trabalho e chefes agem de forma correta o tempo todo e a competição inexiste. Mais uma vez, vale ressaltar que o bom estágio apresenta o mundo como ele é. Os profissionais bem-sucedidos aprenderam ainda jovens a lidar com a questão da hierarquia e dos relacionamentos no ambiente de trabalho.

"No mundo corporativo, nem sempre as pessoas são sinceras, transparentes. Se um jovem entra muito 'cru' no mercado, acaba 'apanhando'", admite Carmem.

E relacionar-se no ambiente de trabalho implica ser humilde, saber aceitar críticas e, principalmente, não reclamar quando não tem uma solução prática para o problema.

Hoje em dia, com a ênfase no networking cada vez maior, é vital ainda saber construir parcerias com pessoas dentro e fora da empresa, do seu próprio departamento e de outros também. Elas podem ajudar futuramente. "A conquista de parcerias só ocorre quando o estagiário se dá bem com todos da empresa, sem ser falso ou parecer marqueteiro demais", diz.

Os ícones

Não é raro os estudantes sonharem em trabalhar com um gestor que é ou pode se tornar um ícone para ele. Podem ser profissionais bem-sucedidos e reconhecidos no mercado ou profissionais que, embora não tenham fama, são extremamente capazes, preparados, conhecedores do ponto de vista teórico, experientes do ponto de vista prático e têm muito a ensinar ao estagiário.

Mas Carmem lembra que, na falta de uma pessoa que seja um ícone, às vezes, a própria empresa é um ícone para o estagiário. É o caso das multinacionais e grandes empresas brasileiras, onde as vagas de estágio são extremamente disputadas. Relação custo/benefício

Carmem ressalta que há estudantes que não agüentam levar a rotina de estágio e faculdade, de forma que acabam desistindo. São horas a menos de sono e finais de semana perdidos para fazer os trabalhos e estudar. Mas ele deve pesar os prós e os contras, se quiser colher os frutos de seu esforço futuramente.

Se esforçar no estágio pode ser recompensador. "Quantas vezes não ouvi gestores dizendo que não tinham vaga de estágio, mas criaram uma apenas por causa de determinado estagiário", lembra. Isso sem falar das inúmeras vezes em que a empresa avisa desde o começo que não há possibilidade de efetivação, mas, no final, o estudante acaba sendo efetivado.

O estágio dos sonhos existe? Por incrível que pareça, sim, mas sempre existirão pontos negativos. A maioria dos estágios, porém, não oferece tudo que foi apresentado nesta reportagem. Cabe então ao estudante pesar a relação custo/benefício e procurar o estágio que se aproxima de seus sonhos de carreira.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host