UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

29/01/2010 - 17h03

Autonomia no ambiente de trabalho é uma necessidade para 58% dos profissionais

SÃO PAULO - Entre os profissionais brasileiros, 58% necessitam de autonomia no ambiente de trabalho e se sentem mais à vontade ao trabalhar de maneira independente, mostrou estudo realizado pela consultoria Fellipelli no segundo semestre do ano passado, que contou com a participação de 300 profissionais.

Em relação às necessidades motivacionais, 44% das pessoas precisam obter vantagens e reconhecimentos individuais. 

Trabalho em equipe

Apesar da maioria dos entrevistados sentirem que precisam de autonomia, não é isso o que eles demonstram para as empresas em que atuam. De acordo com a pesquisa, 75% dos profissionais mostraram atuar a favor dos interesses coletivos e ter mais facilidade em trabalhar em equipe.

"As características que mostramos às outras pessoas e as nossas necessidades motivacionais são naturalmente diferentes, pois na medida em que convivemos em sociedade, certos desejos podem ser vistos de forma negativa pela maioria das pessoas, como o individualismo e a excessiva competitividade", explicou a psicóloga e sócia-administradora da Fellipelli, Adriana Fellipelli. 

Coletivo x individual

Entre os profissionais que aparentam acreditar que a recompensa coletiva é mais importante do que a individual, apenas 17% precisam de um ambiente idealista e voltado ao bem comum para se sentirem motivados.

"No ambiente corporativo de hoje, o trabalho em equipe é inevitável e traz resultados positivos para os negócios, o que justifica que a maioria das pessoas se mostre solicita a esse tipo de prática, ainda que suas necessidades motivacionais não caminhem para a mesma direção", analisou a psicóloga.

Reflexão

A pesquisa também revela que 73% dos profissionais possuem atitudes voltadas para a ação. Esse número cai para 36% quando relacionado à necessidade de ação como fator de motivação.

Apenas 8% dos entrevistados costumam levar mais tempo refletindo antes de tomar decisões. Se forem analisadas as vontades pessoais, 46% refletem antes de decidir. "Grande parte das pessoas pode perder a energia se envolvida com uma demanda muito intensa de trabalho e sem tempo para planejamento, sentindo-se pressionada diante de decisões complexas", explicou Adriana.

"Tais indicadores revelam que quando os profissionais possuem algum controle sobre as demandas e prazos que permitam reflexões e análises, eles se sentem estimulados e podem gerar resultados melhores", completou.

Produtividade

A flexibilidade das atividades também pode gerar mais produtividade ao trabalho. Segundo o estudo, 70% dos profissionais são adaptáveis a ambientes mais disciplinados, pois, em geral, são organizados e atuam dentro dos padrões estabelecidos.

Apenas 28% dos entrevistados precisam desse tipo de ambiente, quando observadas as necessidades motivacionais. "Os dados indicam que as pessoas trabalhariam melhor se tivessem oportunidades para expressar suas individualidades, atuando de maneira inovadora e independente", disse a psicóloga.

Líderes

De acordo com Adriana, os líderes precisam estar atentos às necessidades de cada membro da equipe, visando formar uma estrutura equilibrada, de forma que cada profissional se complemente e contribua para o sucesso dos negócios.

Quando um líder atribui uma tarefa que exige muito ou pouco do funcionário, o resultado pode interferir no andamento das operações. "O líder precisa identificar os limites de sua equipe, pois uma tarefa mal atribuída pode gerar frustração do funcionário", concluiu Adriana.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host