UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/02/2010 - 10h52

Brasil ganha 2,6 mil novos pilotos em 2009; conheça a profissão

SÃO PAULO – No ano passado, o Brasil passou a contar com mais 2,6 mil novos pilotos no espaço aéreo do País.

Segundo dados divulgados pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a maior parte deles, 1,2 mil, é de pilotos privados de avião, primeira etapa para iniciar na carreira ou voar apenas em aeronaves particulares.

Entre os profissionais, foram habilitados 513 pilotos comerciais de avião e 230 pilotos de linha aérea. De helicópteros, foram 224 licenças para pilotos privados, 105 para pilotos comerciais e outras 41 de linha aérea.

O restante das licenças foi para pilotos de planador, balão e aviação experimental (piloto de recreio).

Como se tornar um piloto?

Segundo a Fly-Escola de Aviação, para se tornar um piloto comercial de avião, são necessários oito meses de aulas teóricas e 150 horas de prática, sendo que os quatro primeiros meses de aulas teóricas e as 35 primeiras horas de prática equivalem aos requisitos necessários para se tornar um piloto privado, quando o aluno deverá fazer a primeira prova para concessão de licença na Anac.

No caso dos pilotos de helicópteros, são quatro meses de aulas teóricas e 35 horas de prática para os pilotos privados e mais quatro meses de aulas teóricas e 65 horas de prática para os profissionais, o que dá, para estes últimos, um total de oito meses de aulas teóricas e 100 horas de prática.

Além disso, no caso dos pilotos comerciais, é exigida a conclusão do Ensino Médio e a idade mínima de 18 anos.

Custos

Apesar de exigir uma quantidade de horas práticas menor, a hora aula para quem quer pilotar um helicóptero, ainda conforme a Fly, varia de R$ 600 a R$ 800, enquanto que a hora aula dos pilotos de aviões fica entre R$ 250 e R$ 400. O alto investimento, contudo, pode valer a pena, já que o salário de um piloto vai de R$ 6 mil a R$ 15 mil.

A Anac oferece bolsas de estudos para quem quer se tornar piloto, seja privado ou comercial. Neste ano, serão 213 bolsas de estudo para homens e mulheres de 18 a 35 anos, sendo 139 vagas para pilotos privados e 74 para comercial.

Os candidatos já deverão ter realizado pelo menos 25% das horas previstas no curso desejado e terão de passar por prova teórica e avaliação prática de proficiência em aeronave de instrução. De acordo com a assessoria de imprensa da Agência, os valores das bolsas variam de R$ 12 mil a R$ 70 mil.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host