UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2010 - 16h00

Focar o lado financeiro é apropriado quando se tem um objetivo na carreira

SÃO PAULO – Algumas pessoas fazem suas escolhas profissionais visando somente o lado financeiro, pois optam por trabalhar em empresas cujo salário e também os benefícios são mais atraentes. Mas essa escolha não pode prejudicar a carreira?

De acordo com a consultora de carreira da Career Center, Claudia Monari, essa atitude pode sim prejudicar a carreira. “Profissionais que pensam somente no dinheiro se desmotivam mais fácil. O dinheiro é um fator importante que deve ser analisado, mas é necessário vir junto com a satisfação pessoal e profissional”, afirmou.

Dinheiro com objetivo

Claudia explicou ainda que existem profissionais que aceitam trabalhar em empresas que pagam mais, mesmo sem ter satisfação, porque almejam um objetivo, como estudar no exterior, abrir seu próprio negócio, entre outros.

“Nesse caso, o profissional tem um objetivo específico. Ele não prejudicará a sua carreira, pois não pensa a curto prazo. Ele fez um planejamento e irá cumprir metas para alcançar o que deseja. É diferente do profissional que só prioriza o dinheiro e não tem objetivo”, declarou a consultora.

Planejar a carreira

O planejamento da carreira deve ser feito pensando a longo prazo. É importante que o profissional consiga visualizar como pretende estar daqui a cinco anos. Mas não basta somente querer, é necessário se aprimorar para conseguir o cargo, a empresa e a atividade que deseja.

“Você é o gestor da sua carreira. É muito comum pessoas que deixam a empresa gerir a carreira, mas isso está errado. O profissional deve assumir esse papel e cumprir metas para alcançar o que quer no futuro”, disse.

Dicas

Para os profissionais que têm dificuldades em fazer o planejamento da carreira, Claudia recomendou que a pessoa  tenha consciência do que deseja profissionalmente e enxergue a carreira lembrando que ela tem começo, meio e fim.

“Essas dicas servem para todos os profissionais. Ter ambição de mais ou de menos não é errado. Mas em ambos os casos é importante que a pessoa saiba guiar a sua carreira”, finalizou a consultora.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host