UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/03/2010 - 15h55

Saiba como negar um pedido do seu chefe

SÃO PAULO – Ao longo da carreira, é comum que profissionais sejam surpreendidos pelos seus chefes para cumprir uma tarefa com a qual não concordam, seja na forma de executá-la, no prazo de entrega estabelecido ou, até mesmo, por considerá-la desagradável. Nesse momento, o que deve ser feito? Como escapar dessa "saia justa"?

Segundo o sócio diretor da Compassa Desenvolvimento Humano e Empresarial, Wilson Roberto Lourenço, o profissional, ao se deparar com algo que não o agrade ou que não concorde, deve procurar o chefe para pedir mais informações sobre a atividade, sugerir outra maneira de fazer, e expor sua opinião sobre o que foi pedido.

“É muito importante esse canal de comunicação. Mas isso depende da abertura que existe entre líder e liderado. Os profissionais têm de se colocar, emitir a sua opinião. Mas não é indicado que ele bata de frente com o chefe. A conversa sempre é o melhor caminho” disse.

Assertivo

Lourenço afirma ainda que a situação torna-se mais complicada se o chefe não está disponível para conversa ou se o profissional não tem o hábito de se posicionar em relação ao trabalho. “Ser assertivo no mercado de trabalho é fundamental”.

Mas, para emitir opiniões, os profissionais devem ter um bom relacionamento com o líder. Se a comunicação for um problema, o especialista aconselha que a pessoa busque conversar com os colegas que conseguem falar mais abertamente com o chefe para pedir dicas. Outra maneira é procurar o departamento de RH (Recursos Humanos).

“O RH não foi feito para ouvir reclamação. Ir conversar e não acrescentar nenhuma sugestão ao profissional daquela área não mudará a situação. O RH não resolverá seu problema, mas poderá apoiá-lo de outra maneira”, esclarece Lourenço.

Pedido anti-ético

A situação pode se agravar ainda mais quando o pedido feito pelo líder for considerado anti-ético pelo profissional.

“Quando envolve valores morais, a situação é extrema. Das duas uma: ou o profissional cumpre a tarefa e depois fica se questionando, se culpando e arrependido de ter feito, ou conversa com o chefe e avisa que não irá fazer porque considerada aquele pedido anti-ético”, afirma Lourenço.

Lourenço alerta ainda que, depois, a pessoa terá de arcar com as consequências, como uma demissão ou ser transferido de setor. “O profissional deve seguir seus valores. É a sua imagem e seu nome que podem ficar sujos no mercado de trabalho”, finaliza.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host