UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/07/2010 - 13h44

Um erro fatal! Como contornar uma situação como esta no trabalho?

SÃO PAULO - Existem erros que podem ser fatais, ainda mais se cometidos no âmbito profissional e se colocarem em xeque a imagem da empresa. 

É o caso do incidente envolvendo uma peça publicitária do Grupo Pão de Açúcar, veiculada por um jornal de grande circulação, que trazia uma mensagem que eliminava o Brasil da Copa do Mundo na África do Sul após o jogo contra o Chile. Como contornar com sutileza uma situação dessas, sem afetar o conjunto de funcionários e o rendimento da companhia?

"O gestor dessa equipe deve tomar algumas medidas para que o problema não aconteça mais, já que isso impacta de forma negativa a empresa", afirma a consultora de Recrutamento e Seleção da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Gisele Andriotti.

Para a profissional, ações de maior controle que visem ressaltar a importância da revisão após o término das tarefas, assim como melhorar o controle dessas operações, figuram como os primeiros passos a serem tomados.

Medo de errar

Gisele ressalta a necessidade de o gestor se reunir com a equipe. "Os funcionários ficarão tensos com o ocorrido, por isso, o líder deve ser muito transparente e sentar com todos para direcioná-los para novas tarefas de sucesso".

Nessas horas, o gestor deverá compartilhar a mesma responsabilidade com o restante do grupo, de forma a reforçar o espírito em equipe desempenhado.

"Desse modo, os profissionais entenderão que um pouco mais de atenção e concentração não farão mal a ninguém. Erros não podem desmotivar a equipe", diz Gisele.

O funcionário Tão logo, o profissional que cometeu o erro será chamado para esclarecimentos. Uma conversa individual com o gestor ditará os novos caminhos a serem seguidos por esse funcionário em questão. 

Na avaliação da consultora, antes de qualquer decisão, esse profissional deverá ser analisado, e deve ser levado em conta o vínculo dele com a empresa.

Qualquer decisão emitida em relação ao profissional deve ser informada ao restante da equipe pelo gestor, defende a consultora da Ricardo Xavier. 

Consequências O empregador tem o poder de demitir um profissional, independentemente de justificar ou não. Houve um erro, mas a situação foi tão grave assim a ponto de se aplicar uma justa causa?

“O fato tem de ser suficientemente grave para uma justa causa. Quantos vezes esse funcionário já errou? Como é sua rotina de trabalho? Houve prejuízo para a empresa?”, afirma a advogada trabalhista da Duarte Garcia, Caselli Guimarães e Terra Advogados, Eliane Ribeiro.

De acordo com Eliane, a empresa deverá realizar uma análise profunda sobre o ocorrido, observar o histórico do funcionário, o seu comportamento durante os últimos meses e o impacto dessa repercussão para a companhia.

No caso da empresa demitir o funcionário, explica a advogada, ela terá de arcar com a multa rescisória. Uma advertência também não é descartada em situações como esta.

“A companhia deve agir com muita cautela, nunca esquecendo dos impactos econômicos negativos para o profissional”, diz Eliane. No entanto, ressalta a advogada, o funcionário poderá entrar na justiça se sentir que foi lesado pela empresa. 
Hospedagem: UOL Host