UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/08/2010 - 13h52

No último ano da faculdade, ainda dá para conseguir um estágio?

SÃO PAULO – “No último ano de faculdade, as vagas de estágio somem”. Qual estudante já não ouviu essa afirmação? Entrar no último ano sem estágio não é uma situação muito confortável, mas especialistas garantem que ela não deve ser motivo de desespero. 


Mesmo assim, nessa fase, dúvidas pairam na cabeça de qualquer formando desempregado. Afinal, será que ainda dá tempo de buscar um estágio?


É difícil ou não é?

Como o de trabalho, esse mercado vai muito bem, na avaliação da consultora da Cia de Talentos, Monica Mayol. “Esse mercado está aquecido e não existem fatores fortes que pesem contra ou a favor do estudante que está no último ano”, afirma. 


Para Monica, para aqueles que estão iniciando o último ano de faculdade, é até mais fácil encontrar uma vaga de estágio. “Porque, diferentemente dos estudantes de outros anos, o que está iniciando o último está mais maduro”, acredita. Para aqueles que têm menos de um semestre para concluir o curso, porém, a situação é mais complicada. “Nesse caso, o gestor sabe que não poderá contar com esse estagiário por muito tempo”.


A supervisora de Relacionamento com Instituições de Ensino do CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), Laura Alves, por outro lado, não acredita que os formandos tenham mais dificuldades de encontrar estágio. Contudo, eles também não têm muito a seu favor. “Não é que no último ano seja mais difícil, é que existe uma preferência das empresas por contratar estudantes que estão na metade do curso”, diz.


Essa preferência deve-se ao próprio processo de encontrar o estagiário “ideal”. Os processos, principalmente de grandes empresas, demandam tempo e recursos. Por isso, quando são feitos, visam encontrar estudantes que tenham possibilidades de se desenvolver a ponto de serem efetivados.


E, para se desenvolver, é preciso que o estudante fique um período razoável na empresa. Pela nova lei do estágio, o estudante pode ficar, no máximo, dois anos em uma empresa na condição de estagiário. “O estágio é um instrumento de identificação de talentos. Então, quanto mais tempo o estudante tiver para se desenvolver na empresa, melhor”, acredita Laura.


Em busca de oportunidades 

Somente no estado de São Paulo, existem mais de 2,7 mil vagas de estágio sendo ofertadas pelo CIEE. Grande parte dessas vagas, explica Laura, é dirigida para estudantes de cursos mais tradicionais, como Administração, Economia, Direito e Engenharia. E essas vagas, na avaliação da supervisora, são para estudantes de todos os anos.


Por isso, o estudante não precisa se desesperar, se estiver no último ano, nem descartar a possibilidade de conseguir uma vaga de estágio. Nessa fase, Laura, do CIEE, acredita que os estudantes devem abraçar todos os recursos que visem a colocação no mercado, seja por meio de estágio ou até uma vaga de efetivo. “Ele tem de verificar as duas possibilidades e buscar oportunidades, levando em conta que o estágio é a porta de entrada para o mercado”, reforça.


Contudo, para Monica, da Cia de Talentos, mesmo no último período, o estágio ainda é opção mais segura que a procura por uma vaga como efetivo. “Por meio do estágio, o estudante aprende e contribui para a empresa. Se ainda não formado ele entra como efetivo, a expectativa da empresa é maior, porque o estudante será cobrado como um profissional”, alerta.


E para aqueles que nem pensam em estágio, as especialistas alertam: para entrar no mercado de trabalho, esses estudantes vão ter de se esforçar mais. “O estágio é um diferencial, em algum momento ele vai ter de fazê-lo”, alerta Monica. “O estágio pode acontecer, mesmo ele estando no último ano ou semestre, mas o estudante tem de buscar as oportunidades”.

Hospedagem: UOL Host