UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/08/2010 - 11h00

Temperamento explosivo: como utilizá-lo de maneira eficiente na carreira?

SÃO PAULO – Advogado, médico, jogador de futebol, enfim, em qualquer profissão, sempre existirá um indivíduo de temperamento explosivo, de gênio forte e que não tenha costume de medir suas palavras. 


"As pessoas têm características de personalidade que as diferenciam das outras. Elas [as características] são atributos pessoais, nem mérito nem defeito", afirma o presidente da consultoria Lens & Minarelli e membro do conselho deliberativo da ABRH-SP (Associação Brasileira de Recursos Humanos), José Augusto Minarelli.


Segundo o executivo, o que se recomenda nesses casos é que o profissional faça um esforço para entender o ambiente ao seu redor, e que consiga domar esse sentimento.


Boas vibrações

No entanto, não é só de "lamúrias" que vive o profissional explosivo. Sendo assim, ele pode colocar em prática todo o seu fervoroso potencial.


"Muitas situações requerem pessoas corajosas, rápidas e agressivas, de forma a intimidar as outras pessoas ou a promover a mobilização da equipe. Tudo, é claro, depende muito do momento", analisa Minarelli.


Fato consumado é que o "esquentadinho", notório por suas ações,  sempre corre o risco de arrumar uma boa briga, ainda mais quando do outro lado está um profissional igualmente nervoso.


"O relacionamento entre as pessoas é feito na base do cuidado. Sem isso, você vive arrumando encrenca. Ele tem de saber administrar a encrenca, admitindo que se precipitou em uma ocasião, pedindo desculpas, enfim, tem de saber se retratar", afirma Minarelli.


Busca explosiva

Existe uma linha muito tênue a ser traçada na vida do profissional mais explosivo. O membro da ABRH-SP exemplifica um caso sobre a contratação de um executivo. Na ocasião, ele havia sido chamado para "aparar as arestas" da companhia, cujo momento era de "balbúrdia" entre os funcionários.


Pelo fato de ser um indivíduo explosivo, este profissional conseguiu solucionar os problemas da empresa instaurando ordem e disciplina. Feito isso, ele foi convocado para uma reunião com a diretoria. Minutos depois ficou sabendo que seria desligado do cargo, pois a empresa havia recuperado a estabilidade e já vivia momentos de calmaria.


"Se você é esquentado, procure seu nicho de trabalho. Caso você não tenha condições de trocar de trabalho, policie-se, avalie o contexto ao seu redor. O principal risco nessa hora é perder o emprego", diz o executivo.


"Momento zen"
Quando questionado sobre qual exercício fazer para controlar esse sentimento de nervosismo, Minarelli indicou o tradicional: "Respire, conte até dez ou dê uma volta para abaixar a adrenalina".

Hospedagem: UOL Host