UOL EconomiaUOL EconomiaPlano de Carreira
UOL BUSCA

BOLSAS

CÂMBIO

22/02/2008 - 15h53

Profissional: conheça as normas para ser promovido no emprego

SÃO PAULO - Não é raro nos perguntarmos o que leva alguém a ser promovido. No ambiente corporativo, observamos como coadjuvantes a promoção de profissionais e questionamos se não era nossa vez. "Afinal, o que falta para eu ser promovido?". É o que costuma passar pelas nossas mentes.

A tendência é creditar o mérito da promoção ao apelo comportamental próprio de certos indivíduos. Ou seja, acreditamos que somente conseguem chegar lá as pessoas que são próximas do chefe. Na prática, entretanto, a história é outra. Para o coach Ricardo Melo, é promovido quem mostra para a empresa que é capaz de gerar lucro.

"Os promovidos são profissionais produtivos, proativos, que se antecipam às demandas do gestor, isto é, apresentam soluções e inovações, antes mesmo de alguém pedir. Além disso, possuem visão estratégica e vira e mexe estão pensando em como a empresa pode fazer ainda melhor o que já faz", garante.

Isso significa que aqueles profissionais que pensam "lá na frente" saem na frente, porque, segundo Melo, 90% das pessoas não fazem isso. "A maioria espera receber ordens, por conta do excesso de trabalho que já possui."

Sugestão

O coach sugere reservar meia hora por dia para reflexões sobre como melhorar os trabalhos desenvolvidos pela empresa. "Se realmente não puder reservar meio hora por dia, recomendo meia hora por semana. Lembrando que é possível dar sugestões até mesmo no que se refere a outros departamentos e atividades que não são de sua alçada."

O problema de ser visionário é o ciúme que a equipe pode sentir. Como conseqüência, o profissional com chances de ser promovido pode ser "boicotado". Portanto, sair na frente e ser competente pode ser mais difícil do que parece: é preciso também saber lidar com os colegas.

Neste ponto, a sugestão de Melo é conversar com os colegas e ajudá-los sempre que puder (tomando cuidado para não se mostrar como líder, o que pode, mais uma vez, causar inveja).

"Em Minas Gerais, chamamos isso de 'comer pelas beiradas'. Quando o profissional é proativo, já existe uma tendência dele ser rejeitado pelos demais. Tenho muito contato com pessoas do mercado financeiro e posso dizer que, em corretoras, por exemplo, quanto menos o profissional aparecer para os colegas, melhor. Ele precisa aparecer somente para a chefia", afirma.

Atitude dentro e fora da empresa

Para o gerente de projetos do Grupo Soma, Celso Eduardo da Silva, para ser promovido, o profissional precisa se atualizar constantemente, uma vez que a empresa não planeja a carreira de ninguém. Cada um deve fazer seu próprio planejamento. "O conhecimento de outros idiomas é fundamental", reflete.

Uma dica do coach Ricardo Melo é não prometer fazer além do que é possível. O risco das promessas é a incapacidade de cumpri-las. "O melhor é fazer sua parte bem-feita. As empresas procuram, na realidade, especialistas em determinado assunto, e não pessoas do tipo ´quebra-galho`, que fazem um pouco de tudo. O ´quebra-galho` é fundamental nas organizações, mas ninguém o reconhece, uma vez que não é especialista em nada."

Sair tarde todos os dias também é ruim. "A empresa se acostuma. Se ela tem um funcionário que trabalha até meia-noite todos os dias, sabe que não é preciso promovê-lo. É melhor deixar ele como está. No Brasil, há uma valorização errônea das horas extras. Na França, quem faz hora extra é visto como incompetente, porque não consegue fazer seu trabalho dentro de seu horário."

Silva concorda. "Uma pessoa que aceita trabalhos em excesso não tem tempo de se desenvolver. Esse excesso pode ser até usado de forma proposital pelo superior que não deseja que aquele profissional seja promovido."

Sem exageros

Na opinião do gerente do Grupo Soma, a promoção deve acontecer de forma natural. "Ele precisa conhecer bem o negócio e incorporar os objetivos da empresa em suas atividades diárias. Ser uma pessoa flexível e adaptável também ajuda. Mas não pode parecer que está 'forçando a barra', ao agir com ansiedade", diz.

"Uma pessoa que faz o possível para passar mais tempo com os chefes, por exemplo, pode acabar se prejudicando e arrumando inimizades. O profissional capaz conquista seu espaço pelo trabalho, e não pelos seus anseios", acrescenta Silva.

Equilíbrio

Por incrível que pareça, para ser promovido, é necessário cuidar de sua vida pessoal e da saúde. Explica-se: uma pessoa que vive irritada costuma ser mais reativa e impulsiva, se expondo mais facilmente e falando o que não deveria.

"O próprio profissional deve reservar um espaço para cuidar das emoções e da saúde. Fazer ioga, caminhadas, sair para se divertir e trabalhar a ansiedade são atitudes que ajudam. Os profissionais que vivem no ´piloto automático` têm menos criatividade e capacidade de discernimento", explica Ricardo Melo.

Bovespa Fonte: Thomson Reuters

Gráfico Bovespa

66910,711,14%

Mais bolsas

Cotações anteriores

Dolar Fonte: Thomson Reuters

Gráfico Dolar Comercial

R$ 1,569 -0,44%

Conversor de moedas

Mais sobre câmbio

Cotações anteriores

Hospedagem: UOL Host