! Chile anuncia plano de reativação econômica de 4 bilhões de dólares - 06/01/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

06/01/2009 - 16h14

Chile anuncia plano de reativação econômica de 4 bilhões de dólares

[selo]
SANTIAGO, 6 Jan 2009 (AFP) - O Chile anunciou um plano de reativação econômica de 4 bilhões de dólares, tendo como objetivo gerar cerca de 100.000 empregos e fazer a economia crescer entre 2% e 3% em 2009, no maior pacote anticrise já aprovado no país, que começa a sentir os efeitos da recessão mundial.

O projeto milionário, anunciado pela presidente chilena, Michelle Bachelet, vem pouco depois de o Banco Central do país ter informado sobre a estagnação virtual da economia em novembro de 2008, quando o crescimento ficou em 0,1%, sua menor expansão em cinco anos.

No mesmo mês, a produção industrial caiu 5,7%, enquanto a produção de cobre - motor do crescimento chileno - diminuiu 6,4%.

Diante deste cenário, o governo antecipou o anúncio do maior plano de reativação já organizado no Chile, cujos fundos virão de uma poupança acumulada até setembro de 2008 com os lucros do cobre (o Chile é o maior exportador mundial do metal).

Em mensagem ao país, a presidente Bachelet indicou uma injeção de recursos da ordem de 4 bilhões de dólares, o equivalente a 2,8% do PIB chileno. A governante explicou que o plano visa à criação de 100.000 empregos, além de um crescimento econômico entre 2% e 3% em 2009.

O pacote inclui 11 medidas, entre elas um aporte considerável de 700 milhões de dólarea para a construção de obras públicas, e a entrega, em março, de um bônus de 63 dólares para 3,5 milhões de chilenos, pertencentes à camada mais pobre da população.

O plano de reativação prevê ainda um aumento de capital de 1 bilhão de dólares para a mineradora estatal Codelco, maior produtora mundial de cobre - cujo preço despencou nos últimos meses -, e um aporte adicional de 43 milhões de dólares para o orçamento dos municípios.

A Codelco, cuja produção responde por 11% do cobre mundial, utilizará os recursos disponibilizados pelo pacote do governo para financiar um plano de investimentos, informou a própria companhia nesta terça-feira.

Além disso, o plano anunciado por Bachelet inclui medidas para reativar o mercado financeiro, como a eliminação de um imposto sobre pedidos de crédito, e para estimular a contratação de desempregados, principalmente jovens.

"Todas essas medidas, de um jeito ou de outro, incentivam a demanda interna. A boa teoria econômica sugere que, quando a demanda externa diminui, é necessário potencializar a demanda interna", explicou nesta terça-feira o ministro da Fazenda, Andrés Velasco.

No mundo empresarial, o plano de reativação econômica foi aplaudido.

"O pacote de medidas do governo é acertado. Compartilhamos o diagnóstico, de que a crise é forte, já produziu bastante desequilíbrio e problemas; o plano se antecipa ao que podem ser os efeitos da crise no país", comentou o presidente da Confederação chilena da Produção e do Comércio, Rafael Guilisasti.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host