! Petróleo continua em queda em Nova York, com estoques altos e economia em baixa - 15/01/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

15/01/2009 - 19h58

Petróleo continua em queda em Nova York, com estoques altos e economia em baixa

[selo]
NOVA YORK, 15 Jan 2009 (AFP) - Os preços do petróleo mantiveram a tendência para a queda nesta quinta-feira em Nova York, em um mercado que tenta digerir as más notícias econômicas e o aumento contínuo das reservas petroleiras dos Estados Unidos.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de WTI (West Texas Intermediate, o "light sweet crude" negociado nos Estados Unidos) para entrega em fevereiro terminou cotado a 35,40 dólares, uma queda de 1,88 dólares em relação ao fechamento de quarta-feira.

Em Londres, o barril do tipo Brent com entrega em fevereiro perdeu 39 centavos, encerrando o dia cotado a 44,69 dólares na InterContinental Exchange.

"As notícias econômicas continuam terríveis", estimou Ellis Eckland, analista independente. Os indicadores publicados nesta quinta-feira nos Estados Unidos indicam que o mercado de trabalho permanece em péssima forma, e que a atividade industrial continua se desacelerando.

Por outro lado, o mercado ainda reage ao relatório semanal do departamento de Energia dos Estados Unidos, que na quarta-feira revelou mais uma alta dos estoques petroleiros.

"As reservas no mundo se acumulam no inverno, apesar da demanda relacionada ao intenso frio e ao conflito pelo gás na Ucrânia", acrescentou Eckland.

"O mercado teme que, quando a primavera se aproximar e a demanda diminuir, a capacidade de armazenamento não seja suficiente", estimou o analista.

As reservas em Cushing (Oklahoma) alcançaram um novo recorde: 33 milhões de barris se acumulam no principal terminal petroleiro americano, que serve de referência para os contratos do mercado nova-iorquino.

Isso exerce uma pressão "não natural" sobre os contratos americanos, principalmente sobre aqueles para entrega em fevereiro, que serão referência dentro de alguns dias.

Além disso, há uma diferença importante entre os preços do WTI negociado em Nova York e os preços do resto do mundo, que têm resistido melhor à situação desfavorável.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host