! Rio Tinto Alcan corta 1.100 empregos no mundo - 20/01/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

20/01/2009 - 16h51

Rio Tinto Alcan corta 1.100 empregos no mundo

[selo]
LONDRES, 20 Jan 2009 (AFP) - O grupo de alumínio Rio Tinto Alcan anunciou nesta terça-feira a demissão de 1.100 pessoas no mundo, além do fechamento da fábrica de eletrólise de Beauharnois no Quebec, e reduções de produção na França, entre outras medidas que totalizam a redução de 11% de sua produção de alumínio.

Em seu comunicado, a "Rio Tinto Alcan reduz sua produção e seus custos em resposta ao contexto econômico mundial", o grupo originado da compra em 2007 da canadense Alcan pela anglo-australiana Rio Tinto, indicou que as medidas anunciadas nesta terça-feira totalizam a diminuição adicional de 6% de sua produção de alumínio, elevando a redução total a 11% (ou seja 450.000 toneladas).

A Rio Tinto havia já reduzido a produção em 5% no quarto trimestre.

O grupo espera "adotar importantes programas de redução de custos nos estabelecimentos da Rio Tinto Alcan do mundo inteiro", ele vai fechar a fábrica de Beauharnois, reduzir temporariamente em 400.000 toneladas a produção da fábrica de alumínio Vaudreuil, no Quebec.

A Rio Tinto Alcan tem também a intenção de vender sua participação na filial Alcan Ningxia, na China.

"Nosso objetivo é alinhar a produção à demanda e reduzir o mais possível nossos ganho de exploração", declarou o diretor geral Dick Evans em um comunicado.

A gigante da mineração anglo-australiana Rio Tinto anunciou na segunda-feira dia 12 o adiamento de um investimento de 2,150 bilhões de dólares para a extensão de sua mina de ferro no Brasil, em consequência da crise econômica mundial.

A Rio Tinto está reduzindo atualmente os gastos e a produção, depois de ter anunciado milhares de demissões com a queda dos preços das matérias-primas e a redução da demanda mundial.

"Em resposta à severa deterioração do mercado em plena crise econômica financeira mundial, a extensão da mina de Corumbá foi adiada", informou a agência Dow Jones Newswires, que cita um porta-voz do grupo.

"Não desistimos destes projetos, mas esperamos sinais confiáveis de recuperação do mercado", disse o porta-voz.

Anunciado em julho de 2008, o projeto pretendia aumentar a produção anual da mina de Corumbá de dois milhões de toneladas atualmente para 12 milhões de toneladas.

Os trabalhos, que inicialmente incluíam uma unidade de tratamento, instalações de transporte e um novo porto, deveriam estar concluídas em meados 2010.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host