! Desemprego atinge maior nível em 12 anos na Espanha - 03/02/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

03/02/2009 - 10h28

Desemprego atinge maior nível em 12 anos na Espanha

[selo]
MADRI, 3 Fev 2009 (AFP) - O número de desempregados espanhóis aumentou consideravelmente em janeiro, atingindo um total de 3,327 milhões de pessoas, ou seja, o patamar mais elevado em 12 anos, anunciou nesta terça-feira o ministério espanhol do Trabalho.

Os dados do ministério do Trabalho mostram uma alta do número de desempregados de 198.838 pessoas em janeiro em relação a dezembro de 2008, ou seja, 6,35% a mais.

Com os dados ruins, o ministro da Indústria Miguel Sebastian pediu aos bancos que emprestem mais dinheiro às empresas e a particulares para reaquecer a atividade econômica, acusando os estabelecimentos financeiros de serem "os maiores culpados desta crise".

"Os bancos devem se mostrar responsáveis e reabrir as torneiras do crédito", destacou Sébastien ao canal de televisão Antena 3, um dia depois de uma reunião entre o chefe de Governo, José Luis Rodriguez Zapatero, e os principais banqueiros espanhóis.

Durante o encontro, Zapatero pediu um "esforço extra para atender à demanda de créditos das empresas e das famílias", segundo um comunicado do Executivo.

No total, no fim de janeiro, a Espanha tinha precisamente 3.327.801 pessoas desempregadas, um recorde desde 1996, data do início do cálculo do número de pessoas que procuram emprego segundo o método em vigor até hoje.

No intervalo de um ano (entre janeiro de 2008 e janeiro de 2009), o número de desempregados subiu 1,065 milhão, uma alta de 47,12%, segundo o ministério do Trabalho.

"A contração da atividade econômica e o aumento do desemprego em janeiro confirmam o intenso processo de ajuste da economia espanhola", comentou a diretora de emprego no ministério do Trabalho, Maravillas Rojo.

"A economia espanhola continua sendo influenciada pela grave crise financeira, a falta de liquidez (financeira) e a queda do consumo", indicou Rojo.

O ministério, que divulga todo mês as estatísticas sobre o número de desempregados, não calcula a taxa de desemprego nacional.

Mas o Instituto da Estatística (Ine) divulga uma vez a cada três meses o cálculo do desemprego espanhol. No relatório mais recente, do fim de janeiro, a taxa ficou em 13,91% da população ativa no quarto trimestre, ou seja, o número mais elevado da União Européia.

Depois de mais de 10 anos de forte crescimento, alimentado principalmente por uma atividade frenética no setor imobiliário, a Espanha mergulhou fundo na crise econômica em 2008.

As empresas de construção e as montadoras presentes na Espanha vêm multiplicando as demissões ou as medidas de desemprego técnico.

A situação deve continuar piorando este ano. Em janeiro, o governo revisou em baixa as previsões econômicas para 2009. Madri prevê uma taxa de desemprego de 15,9% no fim do ano, ou seja, exatamente o dobro da registrada no verão de 2007 (7,95%) quando havia atingido um nível mínimo.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host