! Obama participará da Cúpula do G20 em abril - 07/02/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

07/02/2009 - 11h30

Obama participará da Cúpula do G20 em abril

[selo]
MUNIQUE, Alemanha, 7 Fev 2009 (AFP) - O vice-presidente americano, Joe Biden, afirmou, neste sábado, na Conferência internacional sobre Segurança, em Munique, no sul da Alemanha, que o presidente Barack Obama participará na Cúpula do G20, que começa dia 2 de abril em Londres.

"Na maior medida possível, devemos cooperar, nos assegurar de que nossas ações são complementares, e fazer o máximo possível para combater esta crise mundial", afirmou Biden em Munique.

"Os Estados Unidos estão fazendo sua parte e o presidente Obama quer levar esta mensagem à reunião do G20 em Londres, em abril", acrescentou.

Joe Biden afirmou também que Obama quer adotar, de uma forma geral, uma nova atitude nas relações de Washington com os demais países do globo.

"Vamos praticar o diálogo. Vamos ouvir. Vamos consultar. Os Estados Unidos precisam do resto do mundo como, acredito, o resto do mundo precisa dos Estados Unidos", declarou Biden.

Entre outras coisas, segundo o vice-presidente, os EUA estão dispostos a falar com o Irã.

"Nossa administração esta reexaminando nossa política com relação ao Irã, mas uma coisa está clara: estamos prontos para falar com eles", disse Biden a inúmeras autoridades na Conferência da capital bávara.

"Estaremos prontos para falar com o Irã e lhe dar uma escola muito clara: se mantiver a atitude atual, conhecerá pressão e isolamento; se renunciar a seu programa nuclear ilícito e a apoiar o terrorismo, terá importantes recompensas", explicou.

"Entretanto, os Estados Unidos vão continuar desenvolvendo a defesa antimísseis contra a ameaça iraniana, sob condições de eficácia e de custo e, em coordenação com a Rússia", destacou Biden.

"Vamos a continuar desenvolvendo nossas defesas antimísseis para compensar as capacidades crescentes do Irã, desde que a tecnologia funcione e que o custo valha a pena", afirmou Biden.

"Faremos isso em coordenação com nossos aliados Otan e Rússia", acrescentou.

Biden afirmou que chegou a hora de Washington "reexaminar as múltiplas áreas nas quais pode e deve trabalhar conjuntamente com a Rússia.

"Os últimos anos viram um desvio perigoso nas relações com a Rússia e os membros de nossa aliança", declarou Biden.

O vice-presidente americano abordou também em seu pronunciamento a prisão de Guantánamo, em Cuba: "No combate contra o terrorismo, devemos cooperar com os outros países do mundo, e precisaremos da ajuda de todos".

"Por exemplo, pediremos a outros países que assumam sua parte de responsabilidade em se tratando de alguns prisioneiros hoje em Guantanamo", disse.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host