UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2009 - 15h25

Lula diz a Funes que desenvolvimento exige paciência

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje a seu colega salvadorenho, Mauricio Funes, que é preciso ter "paciência" e se evitar decisões precipitadas para levar o país ao desenvolvimento.

"Sei a carga que você carrega para governar este país, sei as pressões que sofre, mas Mauricio, há algo que terá que fazer para ter o mesmo sucesso que nós: jamais perder a paciência ou tomar qualquer atitude precipitada. Conte até dez antes de tomar qualquer decisão", advertiu Lula.

O presidente lembrou que ao assumir o governo brasileiro vários setores do país, incluindo o empresariado, o criticaram por ser de esquerda, por questionar sua formação, por ser do Partido dos Trabalhadores, mas no final das contas suas ações provaram que trabalhava por todos os cidadãos.

Lula aconselhou Funes, que assumiu em junho de 2009, após 20 anos da direita no poder, que "ouça" não apenas os amigos, "que só dizem coisas boas", mas também os que criticam, pois apenas assim poderá decidir com "sabedoria" o que é melhor para o país.

Para o presidente, "o sucesso" do Brasil foi concretizar uma democracia sólida em um país onde "é totalmente possível trabalhar pelo crescimento econômico e por uma equitativa distribuição de riqueza".

Funes destacou que "o Brasil demonstrou que os empresários não devem temer a esquerda". "Nós aqui conseguimos vencer devido à experiência positiva do Brasil", que derrubou o "paradigma neoliberal de que primeiro é preciso crescer economicamente para depois entregar os benefícios aos mais pobres".

Sobre as relações comerciais, Lula revelou que pediu aos empresários exportadores de seu país que trabalhem "não para vender mais seus produtos a El Salvador", e sim para "desenvolver os investimentos" no território salvadorenho, contribuindo para o desenvolvimento social e econômico da população com a abertura de empresas.

Funes disse que o Brasil e seus empresários devem ver El Salvador como "um sócio para construir uma aliança estratégica" que permita ganho nos dois países.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host