! Lula e Obama se unem contra protecionismo - 14/03/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

14/03/2009 - 17h50

Lula e Obama se unem contra protecionismo

[selo]
WASHINGTON, EUA, 14 Mar 2009 (AFP) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu colega americano, Barack Obama, concordaram neste sábado em combater o protecionismo comercial, mas admitiram que no plano bilateral há controvérsias que não vão "desaparecer da noite para o dia".

"Nosso objetivo mínimo é não andar para trás", disse Obama após receber Lula na Casa Branca.

"As empresas americanas se beneficiam com nossas exportações, e as importações do Brasil podem nos dar acesso a produtos e serviços no Brasil", destacou Obama ao ser questionado sobre as recentes medidas de seu governo de viés protecionista, como a cláusula "Buy American" (compre americano) de seu pacote de estímulo econômico.

Obama destacou que seu governo acatará as determinações da Organização Mundial do Comércio (OMC).

"Talvez seja difícil para nós concluir toda uma bateria de acordos comerciais em meio a uma crise econômica como esta, mas estamos comprometidos com nosso sócio brasileiro a sentar e tentar (...) reduzir as distâncias na Rodada de Doha" para a liberalização do comércio mundial.

"Talvez isto não ocorra da noite para o dia", disse Obama, destacando que defender empregos nos Estados Unidos não significa "levantar uma muralha" para os produtos de outros países.

Lula concordou com o líder americano e reconheceu que "em meio a uma crise como esta, é difícil chegar a um acordo".

Segundo o presidente brasileiro, a Rodada de Doha "é um dos componentes para aliviar os países emergentes".

"O protecionismo neste momento só vai agravar a crise econômica", disse Lula, destacando que o Brasil fez "esforços enormes" para concluir com sucesso a Rodada de Doha, iniciada em 2001.

Os chanceleres de Estados Unidos, Hillary Clinton, e Brasil, Celso Amorim, trabalharão para aparar as arestas do comércio bilateral, garantiu Obama.

Brasil, Rússia, Índia e China, os principais países emergentes que participaram neste sábado, em Horsham (sul de Londres), da reunião preparatória da Cúpula do G20, denunciaram a ameaça "cada vez mais real" do protecionismo.

No comunidado final do encontro em Horsham, os ministros do G20 destacaram a necessidade de se combater o protecionismo e proteger o livre comércio.

Os líderes do G20 se reunirão no próximo dia 2 abril, em Londres, para decidir medidas contra a crise econômica e restabelecer a confiança e o crédito financeiro.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host