! Presidente da AIG responde à indignação do Congresso dos EUA - 18/03/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

18/03/2009 - 14h24

Presidente da AIG responde à indignação do Congresso dos EUA

[selo]
WASHINGTON, EUA, 18 Mar 2009 (AFP) - O presidente da seguradora americana AIG, Edward Liddy, presta depoimento nesta quarta-feira no Congresso dos Estados Unidos, ante parlamentares indignados pelo escândalo dos bônus pagos aos executivos da empresa, recentemente resgatada da falência mediante milhares de dólares de dinheiro público.

A audiência começou nesta quarta-feira às 10H00 (12H00 de Brasília).

Em seu depoimento, preparado com antecedência, Liddy afirmou que a AIG foi obrigada a pagar bônus (desagradáveis), mas garantiu que a empresa tirou as lições de seus erros.

"Erros foram cometidos dentro da AIG, em uma escala que poucas pessoas poderiam ter imaginado", disse Liddy em seu depoimento, que está sendo apresentando neste momento à subcomissão dos mercados de capitais, dos seguros e das empresas financiadas com fundos públicos.

Liddy também afirmou que está se esforçando com sua equipe dirigente para reerguer a seguradora, com o objetivo de devolver os 170 bilhões de dólares emprestados pelo Estado desde 2008 para evitar a falência.

"Para alcançar este objetivo, precisamos administrar nossos negócios como negócios, levando em conta a implacável realidade da concorrência para os clientes, os recursos e os funcionários", prosseguiu.

"Por causa disso, e de algumas obrigações legais, a AIG pagou recentemente bônus, alguns dos quais são, acho eu, desagradáveis", admitiu.

Liddy não esteve na sala de audiência na manhã desta quarta-feira, mas deve comparecer lá agora à tarde.

Enquanto isso, a subcomissão da câmara ouviu os depoimentos de membros de organismos de regulação da seguradora, referentes principalmente às lições a tirar do caso AIG.

Joel Ario, comissário encarregado dos seguros na Pensilvânia (leste dos EUA), defendeu o fortalecimento da regulação dos seguros em nível estadual.

Scott Polakoff, diretor do Escritório de Supervisão da Economia (OTS), garantiu que seu departamento tirou as lições da queda da AIG, e redigiu diretrizes para uma melhor supervisão do setor dos seguros.

O secretário do Tesouro, Tim Geithner, destacou na noite de terça-feira que a AIG terá que devolver a totalidade dos polêmicos bônus pagos a seus executivos, que se elevam a 165 milhões de dólares. Além disso, uma quantia equivalente será deduzida dos 30 bilhões de dólares suplementares prometidos pelo Estado à seguradora.

O Estado controla quase 80% da AIG.

Além disso, diante da ira da opinião pública e do Congresso, Geithner anunciou terça-feira uma aceleração do desmantelamento da seguradora.

Quase todos os congressistas americanos se mostraram indignados com o pagamento dos bônus.

O senador republicano Charles Grassley chegou a sugerir ironicamente que os dirigentes que aprovaram o pagamento destes bônus se suicidassem.

No início da semana, o presidente Barack Obama prometeu usar todos os meios legais para bloquear o pagamento dos bônus ou recuperar o dinheiro.

Edward Liddy assumiu a presidência da AIG em setembro passado, depois do resgate da empresa organizado pelo Federal Reserve (Fed).

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host