UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/03/2009 - 13h34

Petróleo fecha em leve alta em Londres e Nova York

Os preços do petróleo fecharam em leve alta nesta terça-feira, com o barril de referência aproximando-se dos 81 dólares em Londres e de 82 em Nova York, em um mercado que aguarda notícias que o orientem.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do West Texas Intermediate (designação do "light sweet crude" negociado nos EUA) para entrega em maio fechou em 81,91 dólares, no primeiro dia de cotação como contrato de referência, em aumento de 31 centavos em relação ao fechamento de segunda-feira.

Na InterContinentalExchange de Londres, o barril do Brent com vencimento em maio ganhou 16 centavos, a 80,70 dólares.

"Até que o mercado se ajuste um pouco (em termos de oferta e demanda) e que saiamos desta temporada indefinida, os principais fatores que potencialmente poderão movimentar o mercado são macroeconômicos", explicou o analista independente Ellis Eckland, referindo-se à evolução do dólar e das bolsas.

O dólar ganhou força nesta terça-feira, beneficiando-se de novos temores relacionados à moeda europeia por causa da dívida grega, o que geralmente afeta o petróleo.

Mas os preços do petróleo aumentaram até o final da sessão, quando os índices ganhavam força em Nova York, graças aos indicadores melhores que o previsto no setor imobiliário.

"Durante o final de semana, houve dúvidas sobre o crescimento econômico. Mas o mercado se recuperou ontem graças à reação positiva à lei dos seguros de saúde", lembrou Adam Sieminski, do Deutsche Bank, acrescentando que "o índice de preços se mantém intacto".

"O barril não consegue ir mais além de 82-83 dólares e não parece querer ficar abaixo dos 75 dólares", indicou.

Na manhã de quarta-feira, os investidores acompanharão o relatório semanal sobre estoques de petróleo do Departamento de Energia americano.

Os analistas consultados pela agência Dow Jones Newswires preveem uma alta dos estoques de cru de 1,4 milhão de barris, enquanto que as reservas de gasolina teriam caído 1,3 mb; e as de produtos destilados, 600.000 barris.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host