! Ministro diz que Venezuela segue adiante com projeto de nacionalizações - 24/03/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

24/03/2009 - 18h10

Ministro diz que Venezuela segue adiante com projeto de nacionalizações

[selo]
CARACAS, Venezuela, 24 Mar 2009 (AFP) - O governo da Venezuela continua avançando na negociação das nacionalizações anunciadas no ano passado, afirmou nesta terça-feira o minstro venezuelano das Finanças, Ali Rodríguez, anunciando que o país e a empresa argentina Techint já alcançaram um acordo pela siderúrgica Sidor.

O ministro também disse "esperar" que a nacionalização do Banco da Venezuela, de propriedade do grupo espanhol Santander, anunciada em julho do ano passado, seja concluída antes do fim de 2009.

"Estamos negociando há muito tempo. Tínhamos entrado em uma espécie de hiato e agora retomamos as negociações. Faremos os anúncios que tiverem que ser feitos em seu devido momento", explicou Rodríguez.

A Ternium-Sidor, maior siderúrgica da região andina e do Caribe, com uma produção de 4,3 milhões de toneladas de aço líquido em 2007, foi objeto de um decreto de nacionalização em maio de 2008.

Até o ano passado, o Estado venezuelano possuía 20% das ações da siderúrgica, enquanto 20% pertenciam aos trabalhadores e os 60% restantes eram da Techint.

"Com a Sidor, já chegamos a um acordo sobre um sistema de pagamentos. Sim, (o negócio) está fechado. Já foi paga uma parte. O importante é que chegamos a um acordo e já estamos em processo de pagamento", indicou Rodríguez.

O ministro, no entanto, não quis divulgar o valor negociado pela aquisição da Sidor.

Rodríguez também mencionou a questão das fábricas de cimento Cemex (México), Holcim (Suíça) e Lafarge (França), que foram objeto de decretos de nacionalização em junho do ano passado.

Com estas, o governo chegou a um acordo de compra, mas o pagamento ainda não foi feito. A Holcim anunciou na segunda-feira que recorrerá a instâncias internacionais para obter uma compensação.

A Cemex, por sua vez, foi expropriada, e a matriz mexicana já entrou com um processo no tribunal de arbitragem internacional do Banco Mundial.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host