! Venezuela avaliará consórcio Total-CNCP na Faixa do Orinoco (ministro) - 17/04/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

17/04/2009 - 13h03

Venezuela avaliará consórcio Total-CNCP na Faixa do Orinoco (ministro)

[selo]
CUMANA, Venezuela, 17 Abr 2009 (AFP) - A Venezuela avaliará um consórcio entre a companhia de petróleo francesa Total e a chinesa CNCP para a exploração de petróleo na Faixa do Orinoco, cujos blocos serão submetidos a licitação em julho, ressaltou nesta sexta-feira o ministro da Energia, Rafael Ramírez.

"Há muitos consórcios que estão sendo feitos e nós demos luz verde para que as empresas entrem em acordo conforme seus interesses, sempre que possam atender às condições para o processo de licitação", disse Ramírez, ao confirmar que a francesa Total e a chinesa CNCP estão em negociações para formar uma aliança desse tipo.

Total e CNPC estudam fazer uma oferta comum para explorar parte das reservas petrolíferas da Faixa do Orinoco, e para a construção na Venezuela de uma unidade de refino de petróleo extrapesado.

As duas companhias controlariam 40% do petróleo produzido e os 60% restantes seriam da PDVSA.

O governo da Venezuela anunciará em meados de julho os consórcios vencedores da licitação para obter os direitos sobre sete blocos petrolíferos na Faixa do Orinoco.

Dezoito empresas participam de um leilão para obter os direitos sobre sete blocos do Campo Carabobo da Faixa do Orinoco, um cinturão petrolífero que pode ter reservas de 235 bilhões de barris de cru pesado e extrapesado.

Os blocos poderiam ser entregues este ano.

A Venezuela, o maior produtor de petróleo sul-americano, instaurou em 2007 na Faixa do Orinoco um sistema de empresas mistas entre a Pdvsa e outras companhias estrangeiras, nas quais o Estado venezuelano possui pelo menos 60% do capital.

As empresas que cumpriram os requisitos de registro nessa licitação são, entre outras, a Petrobras, a britânica BP, a norte-americana Chevron, a chinesa China National Petroleum Corporation (CNPC), a espanhola Repsol, a francesa Total e um consórcio russo.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host