! Gordon Brown anunciará um orçamento austero para o Reino Unido - 20/04/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

20/04/2009 - 10h17

Gordon Brown anunciará um orçamento austero para o Reino Unido

[selo]
LONDRES, Reino Unido, 20 Abr 2009 (AFP) - O governo trabalhista do primeiro-ministro britânico Gordon Brown anunciará na quarta-feira no Parlamento seu orçamento 2009/2010, com o qual jogará em grande parte seu futuro político, mas que, devido a gigantescos déficits, será austero e não anunciará medias ambiciosas de reativação.

O orçamento, que será apresentado no Parlamento pelo ministro do Tesouro, Alistair Darling, deveria ser a ocasião para Brown reafirmar uma vez mais sua determinação para sair da pior crise econômica desde 1945, mas segundo antecipam os economistas, o próximo orçamento do Reino Unido, a quinta economia do mundo, será austero.

O governo prevê em seu orçamento que a economia se contrairá 3% em 2009, e que começará a crescer apenas em 2010, segundo um relatório da Confederação Britânica da Indústria (CBI), divulgado dois dias antes da apresentação do orçamento.

A CBI afirma no informe que o pior da recessão já passou, mas alerta que a recuperação, que começará até a primavera (outono no Brasil) de 2010, será "lenta e frágil".

O documento da CBI, divulgado às vésperas do governo apresentar o orçamento, reconhece que a recessão nos primeiros três meses do ano foi mais profunda que o previsto.

Apesar do surgimento de alguns sinais positivos, a contração da economia britânica em 2009 será de 3,9%, destaca o CBI.

Elaborado pela empresa de consultoria Ernst & Young Item Club, o relatório aponta que o pior capítulo da recessão foi superado graças à estabilização dos mercados e a um maior acesso ao crédito.

Em um editorial, o jornal Financial Times destaca nesta segunda-feira que o buraco fiscal do Reino Unido deve chegar a 175 bilhões de libras em 2009, 12% do Produto Interno Bruto (PIB).

"A dívida líquida pode alcançar 100% do PIB. A crise custará então tanto como uma grande guerra", afirma o FT.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host