! Instituições multilaterais liberam US$ 90 bi para a América Latina - 22/04/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

22/04/2009 - 19h55

Instituições multilaterais liberam US$ 90 bi para a América Latina

[selo]
WASHINGTON, EUA, 22 Abr 2009 (AFP) - O Banco Mundial (Bird), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e outras instituições multilaterais anunciaram nesta quarta-feira o desbloqueio de 90 bilhões de dólares para a América Latina nos próximos dois anos.

O Bird está disposto a liberar 35,6 bilhões de dólares, o BID 29,5 bilhões, e a Cooperação Andina de Desenvolvimento, 20 bilhões, afirmaram estas instituições em comunicado comum.

O Banco Centro-Americano de Integração Econômica e o Banco de Desenvolvimento do Caribe também vão contribuir, respectivamente com 4,2 bilhões e 500 milhões de dólares.

As instituições querem disponibilizar mais recursos para os países da região, abalados por uma crise mundial que reduziu seu acesso aos mercados financeiros.

O anúncio foi feito depois de alguns economistas terem expressado o temor de que a América Latina, que não é considerada como a região mais atingida pela recessão, tenha dificuldades para conseguir financiamentos com as instituições mundiais.

"A América Latina e o Caribe realizaram progressos econômicos e sociais importantes nos cinco últimos anos, e precisamos garantir que o choque externo da crise mundial não estrague esses avanços", declarou o presidente do Bird, Robert Zoellick.

Durante o período, o crescimento da América Latina foi em média de 5,3% por ano. O Bird prevê para este ano uma redução de 0,5% a 1,5% do Produto Interno Bruto da região. Já o Fundo Monetário Internacional aposta numa contração de 1,5%.

"A América Latina conseguiu retirar 52 milhões de pessoas da pobreza entre 2002 e 2007, mas esta tendência ainda pode se inverter", avisaram as instituições multilaterais.

Augusto de la Torre, chefe da equipe econômica do Bird para a América Latina, afirmou nesta quarta-feira que se a recuperação econômica demorar muito, até quatro milhões de latino-americanos poderão cair abaixo da linha de pobreza em 2009, e outros dois milhões que poderiam sair deste patamar serão privados dessa possibilidade.

O BID ressaltou que continuará tentando aumentar seus recursos, "para seguir apoiando a região em suas necessidades de financiamento".

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host