! Dexia desmente pagamento de 8 milhões de euros em bônus em 2008 - 23/04/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

23/04/2009 - 08h23

Dexia desmente pagamento de 8 milhões de euros em bônus em 2008

[selo]
PARIS, França, 23 Abr 2009 (AFP) - O banco franco-belga Dexia, que foi salvo da quebra pelos Estados francês e belga, desmentiu nesta quinta-feira ter liberado no total 8 milhões de euros em bônus a seus executivos franceses em 2008, contradizendo assim informações do jornal Libération.

O jornal francês afirma nesta quinta-feira que estes prêmios de 2008 foram concedidos ao "top management" do Dexia Crédit Local, a filial francesa do grupo.

"Nenhum membro de nenhum comitê executivo ou da direção do grupo, assim como de suas principais filiais, recebeu remuneração variável em 2008", ou seja mais de 50 pessoas, afirmou à AFP o presidente do banco, Pierre Mariani, destacando que estas informações já haviam sido publicadas em 30 de janeiro.

"Nenhum grupo financeiro pediu a seus dirigentes um esforço como este", disse este ex-responsável do BNP Paribas que assumiu as rédeas do banco após seu resgate em outubro.

Para os quadros intermediários, a baixa das remunerações variáveis, ou seja, dos bônus, ficou entre 20% e 60%. Para os "traders", a redução chegou a 80%, segundo ele.

No total, as remunerações variáveis do Dexia, que representavam 16% da massa salarial, ou seja dois meses de salários, foram reduzidas à metade", indicou Mariani.

No Dexia Crédit Local, 765 assalariados, de um total de 1.600, dividiram um envelope global de 6,1 milhões de euros (8 milhões de euros com encargos sociais), ou seja 8.000 euros em média.

Além disso, Pierre Mariani afirmou que sua remuneração fixa chegou a 1,130 milhão de euros, contra 1,042 milhão para seu antecessor Axel Miller, ou seja uma baixa de 8,45%.

O Libération indicou por sua vez que Mariani recebeu um salário fixo 30% mais alto que o de Miller, que deixou o cargo no fim de setembro. O relatório anual do banco revelou que este último recebeu uma indenização de partida de 825.000 euros, enquanto ele havia afirmado, sob pressão do governo francês, que não pediria nada.

Além disso, Mariani afirmou que não há "nenhuma remuneração variável ao título de 2008, e que nenhum programa de stock-options" foi adotado pelo Dexia, assinante da convenção com o Estado francês que limita a remuneração dos executivos dos bancos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host